Cidades de Papel, de John Green, vai virar filme

Leandro de Barros

  quarta-feira, 26 de março de 2014

Cidades de Papel, de John Green, vai virar filme

Mais um livro de John Green ganhará as telonas

Cidades de PapelSegundo o Deadline, a Fox 2000 está muito feliz com a adaptação cinematográfica de A Culpa é das Estrelas, de John Green, que deverá ser lançado em breve nos cinemas.

Tão feliz, que até já garantiu os direitos cinematográficos e vai produzir um filme de um outro livro de Green, dessa vez Cidades de Papel.

O estúdio está cogitando e negociando com os produtores e roteiristas de A Culpa é das Estrelas para que eles trabalhem em Cidades de Papel também, mas eles não serão os únicos a trabalhar nos dois filmes, já que o ator Nat Wolff (que vive o Isaac em A Culpa é das Estrelas), será o protagonista do novo filme.

Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.

Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.

Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia

Ainda não há data para o lançamento de Cidades de Papel nos cinemas.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários