Attack on Titan ultrapassa One Piece em vendas no primeiro semestre de 2014

Leandro de Barros

  segunda-feira, 02 de junho de 2014

Attack on Titan ultrapassa One Piece em vendas no primeiro semestre de 2014

Mangá de Hajime Isayama interrompe o reinado de 5 anos de One Piece entre os mais vendidos do Japão

A gente já narrou muitas vezes por aqui a jornada de sucesso de Attack on Titan, mangá criado por Hajime Isayama. A série começou a ser publicada no Japão em 2009, na revista Bessatsu Shonen, da editora Kodansha, e fui galgando seu caminho para o sucesso desde então, chegando realmente a explodir no ano passado, com a estreia do seu anime.

A febre dos titãs foi tão forte no ano passado que, pela primeira vez em anos, One Piece viu o seu domínio ameaçado na lista de mangás mais vendidos da Terra do Sol Nascente. E um novo golpe foi lançado nessa luta no mercado editorial japonês.

Segundo a Oricon, empresa responsável por fazer um estudo de mercado no Japão, o mangá de Attack on Titan foi o título mais vendido do primeiro semestre de 2014 no país, encerrando o reinado de 5 anos de One Piece na posição. Ao todo, o mangá de Hajime Isayama vendeu cerca de 8,342 milhões de cópias durante a primeira metade desse ano, enquanto o concorrente de Eiichiro Oda ficou com 4,936 milhões de unidades.

O Top 5 dos mangás mais vendidos do Japão nesse período ficou assim:

Mangá Unidades Vendidas Editora
Attack on Titan (Hajime Isayama) 8 342 268 Kodansha
One Piece (Eiichiro Oda) 4 936 855 Shueisha
Kuroko’s Basketball (Tadatoshi Fujimaki) 4 616 040 Shueisha
Naruto (Masashi Kishimoto) 3 247 920 Shueisha
Magi (Shinobu Ohtaka) 3 085 177 Shueisha

Attack on Titan é publicado no Brasil pela Panini, sob o nome de Ataque dos Titãs. One Piece e Naruto também são publicados no país pela editora italiana, que deverá trazer Kuroko no Basket em breve. Magi, por sua vez, deverá chegar ao Brasil pela JBC.

via ANN


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários