Alan Moore: “Eu odeio super-heróis. Acho que eles são abominações”

Leandro de Barros

  terça-feira, 26 de novembro de 2013

Alan Moore: “Eu odeio super-heróis. Acho que eles são abominações”

Escritor britânico volta a dar declarações polêmicas sobre a indústria de quadrinhos de super-heróis

Alan Moore

Mais um dia, mais uma polêmica envolvendo uma declaração de Alan Moore.

Teria o homem perdido a sanidade de vez? Ou estaria ele apenas vendo como o público reage? Talvez a ideia seja simplesmente usar a máquina da publicidade para lembrar ao público dos seus novos projetos ao criar polêmica com o seu nome numa sociedade que ele já não se importa em estar? Mais ainda: chegará o dia onde nós não iremos nos importar com o que Alan Moore diz sobre a indústria dos quadrinhos?

Seja como for, em entrevista ao jornal britânico The Guardian, Moore voltou a atacar a indústria de quadrinhos de super-heróis, dessa vez transformando os próprios paladinos da justiça (e seus fãs!) no alvo das suas maldizentes palavras.

Confira o que o homem disse:

Eu não li uma revista em quadrinhos de super-herói desde que terminei Watchmen. Eu odeio super-heróis. Acho que eles são abominações. Eles não significam mais o que costumavam significar. Eles estavam originalmente nas mãos de escritores que ativamente expandiam a imaginação do seu público de 9 à 13 anos. Era completamente isso que eles significavam e eles funcionavam excelentemente. Hoje em dia, HQs de super-heróis pensam que seu público não tem mais de 9 a 13 anos, não é mais com as crianças. É um público majoritariamente composto por velhos de 30, 40, 50, 60 anos de idade, normalmente homens. Alguém inventou o termo graphic novel e esses leitores se agarram no termo; eles estavam simplesmente interessados numa maneira de validar o seu amor contínuo pelo Lanterna Verde ou o Homem-Aranha sem parecer ser emocionalmente subnormal. Não acho que super-heróis signifiquem nada de bom. Eu acho que é alarmante que nós tenhamos um público de adultos indo assistir ao filme dos Vingadores e se deliciando com conceitos e personagens criados para entreter crianças de 12 anos nos anos 50

Vou tentar não citar que vimos Alan Moore reclamar que quadrinhos de super-heróis deixaram de ser coisas de criança para acomodar um público que não é mais criança (um doce pra você que descobrir a falha de lógica no argumento dele), nem lembrar que coincidentemente ele está lançando um encadernado de alguma coisa lá no Reino Unido e que a publicidade de uma declaração polêmica vinha bem a calhar, muito menos comentar a subnormalidade emocional de alguém que efetivamente acredita ser um mago ou mencionar a deliciosa ironia no infantil comportamento em esperar que uma mídia de publicação cultural NÃO MUDE em mais de 75 anos de história. Não farei nada disso porque realmente acho que Alan Moore é um escritor muito, muito acima da média, mas que faz com que seja cada vez mais difícil desassociar a imagem dele do trabalho que ele produz.

Enfim, na entrevista Moore ainda aproveitou para dar uma provocadinha de leve em Grant Morrison:

Eu geralmente não leio muito coisa. Eu não tenho problema com as pessoas pegando inspirações ou talvez ficando interessadas em uma das minhas ideias, mas é importante que elas criem a sua própria voz, não usem o meu estilo ou um eco do meu estilo. Se ser influenciado pelo meu trabalho é parte do processo que faz com que eles desenvolvam suas próprias vozes, então eu fico contente.[…] Grant Morrison já confessou que a sua tática não só é basear algumas das suas narrativas no meu estilo ou no meu trabalho, como também se tornar mais famoso por me atacar publicamente em cada oportunidade que tem. Eu não tenho nada a ver com ele

IMAGINA né, Alan Moore? Nunca que você iria utilizar a tática de falar mal de alguma coisa na imprensa pra gerar buzz e promover lançamentos que você tenha em mãos, né?

Em uma notícia relacionada, Alan Moore lançou recentemente no Reino Unido o encadernado Fashion Beast, idealizado por Malcolm McLaren (empresário dos Sex Pistols) e que originalmente seria um filme. /ironia


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários