20th Century Fox firma acordo com a Boom! Studios

Fanboys vs. Zombies, uma das HQs mais vendidas da Boom!
Fanboys vs. Zombies, uma das HQs mais vendidas da Boom!

O The Hollywood Reporter divulgou que a 20th Century Fox fechou um acordo com a editora Boom! Studios que podemos classificar, no mínimo, como o mais lucrativo contrato entre um estúdio de cinema e uma editora de quadrinhos.

De maneira similar com o negócio que a DC Comics tem com a Warner (e, guardadas às devidas proporções e diferenças, que a Marvel tem com a Disney) a 20th Century Fox ganha os direitos cinematográficos das obras criadas pela Boom!.

A vantagem da Fox nessa brincadeira é que, ao contrário das grandes DC Comics e Marvel Comics, a Boom! está sempre criando novas propriedades intelectuais – enquanto as duas gigantes dos quadrinhos norte-americanos vivem da utilização dos seus personagens criados há 50 anos.

Porém, pra Boom!, o negócio é sem precedentes: a editora ficará com parte dos rendimentos iniciais dos filmes feitos com base nas suas propriedades intelectuais. Explicando com um exemplo prático: imagine que a HQ Codebreakers, da Boom!, seja adaptada em um filme e lucre $300 milhões de dólares nas bilheterias. Essa grana de bilheteria é o que os estúdios norte-americanos chamam de “first-dollar”, os rendimentos iniciais que eles recebem – é o primeiro valor que os estúdios recebem com um filme. Porém, a bilheteria de um longa não é 100% para o estúdio (cerca de metade fica com os cinemas que exibiram esses filmes!) – no nosso exemplo, a Fox ficaria com $150 milhões. Com o contrato assinado, a Boom! Studios levaria uma parte (não explicada de quanto!) desses $150 milhões – e dividirá essa parte em 2, ficando com metade dos rendimentos e entregando a outra metade aos criadores da HQ em questão!

Numa era onde Jack Kirby não recebeu nada por Os Vingadores, nós estamos levando os Jack Kirbys para a divisão. Eles podem usar nossos conhecimentos no campo enquanto se focam no lado criativo do processo“, revelou Ross Richie, um dos principais produtores da Boom!

Um contrato desses pode representar um risco grande para Marvel e DC Comics (além das outras editoras), já que artistas do mercado norte-americano – ou de outros mercados que queiram começar a publicar nos EUA – vão acabar dando preferência para a Boom!, com a perspectiva de ganharem algum dinheiro se as suas obras forem transformadas em filmes.

Além disso, a Boom! Studios ainda ganha acesso à todas as franquias da 20th Century Fox, podendo lançar HQs de todas elas e até mesmo rebootá-las em quadrinhos – com a Fox podendo então pegar essas novas versões das suas franquias em HQs e levá-las para os cinemas como remake.

Nada, nada, essa mudança é de grande importância para quem curte cinema e HQs. Primeiro porque a Boom! é uma editora premiada e possui alguns títulos bem interessantes em seu catálogo. Segundo porque esse precedente pode motivar acordos mais interessantes para DC, Marvel, Image, Dark Horse e outras editoras – recompensando assim a criação de novas franquias e personagens que possam ser transformados em filmes e que gerem recompensas financeiras aos seus criadores.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...