Vídeo apresenta o sistema de batalha de Final Fantasy XIII-2

  Leandro de Barros  |    quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O jogo será lançado para Xbox 360 e PS3 em 2012.

O IGN divulgou um novo vídeo de Final Fantasy XIII-2 (que tem aparecido por aqui bastante nos últimos dias), mostrando algumas mudanças no sistema de batalha do game, em relação ao game anterior.

A base do sistema é o mesmo do anterior mas no vídeo nós podemos notas três mudanças importantes: a primeira, e mais óbvia, é a presença de dois personagens no controle do jogador. No game anterior, o jogador só controlava o líder do grupo enquanto a IA do game controlava o restante. Agora o player pode gerenciar os dois personagens.

A outra mudança, pelo que pude notar, é a formação de algumas estratégias de luta, parecidas com as Gambits de Final Fantasy XII, mas só em teoria. Nessas estratégias, o jogador pode definir qual o papel de cada personagem na luta. Por exemplo, se o inimigo for alguém muito fraco, o jogador pode trocar para a estratégia onde Noel e Serah são os dois Commando. Se aparece um inimigo mágico, com o toque de um botão, os dois podem mudar para uma estratégia adequada, preparada com antecedência. O sistema deve aumentar a dinâmica dos combates.

Para terminar, outro aspecto do sistema de batalha do game que foi mostrado é o uso de Quick-Time Event na batalha (provavelmente só contra os chefes).

Em Final Fantasy XIII-2, a Lightning do game anterior não existe mais. Enquanto todos acreditam que ela está morta, Serah mantém sua fé de que sua irmã está viva em algum lugar. Após um meteorito cair em Gran Pulse e criar uma distorção no espaço trazendo monstros sanguinários ao lugar, Serah é resgatada por um jovem chamado Noel e que se diz um viajante do tempo, que diz ter uma mensagem para ela. Uma mensagem de sua irmã.

Final Fantasy XIII-2 será lançado para Xbox 360 e PS3 em 2012.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários