Square-Enix não descarta retornar a franquia Final Fantasy pros PCs

Leandro de Barros

  quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Square-Enix não descarta retornar a franquia Final Fantasy pros PCs

Produtor da franquia afirma que a Square vê esse retorno com bons olhos, mas cita alguns problemas no caminho

Noctis, protagonista de Final Fantasy XV - será que ele pintará em PCs?

Noctis, protagonista de Final Fantasy XV – será que ele pintará em PCs?

Em entrevista ao Eurogamer, o produtor da franquia Final Fantasy, Yoshinori Kitase, comentou que a Square-Enix não descarta voltar a lançar os games da série também para PCs – Final Fantasy VII e VIII, além dos MMORPGs Final Fantasy XI e Final Fantasy XIV ganharam versões para Windows.

Não vamos esquecer que, quando estávamos desenvolvendo a série Final Fantasy XIII, todos os três títulos em seus estágios iniciais estavam sendo desenvolvidos em PCs. Então nós tivemos que fazer uma portagem para os consoles.

Em termos de tecnologia, seria possível para a gente fazer versões de PC [da trilogia Final Fantasy XIII], mas nós decidimos não fazer por duas razões: nós olhamos para a situação atual do mercado e achamos que não seria uma boa ideia e essas versões envolveriam muitas questões complexas, como segurança. Então decidimos não fazer por enquanto.

Mas nós vemos o potencial na ideia e existem muitas regiões e países onde o mercado de PCs é muito forte. Então, em termos de esperanças de poder entregar os nossos games em todos os países do mundo e para a maior quantidade possível de jogadores, sim, nós definitivamente estaríamos interessados em seguir essa rota no futuro

Por enquanto, apenas aqueles quatro jogos da franquia já citados estão disponíveis para PC. E, por falar nisso, vale lembrar que Final Fantasy XIV: A Realm Reborn está com 50% de desconto no Steam até o dia 25 de Fevereiro desse ano.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários