Sony compra o Gaikai por $380 milhões de dólares

A Sony anunciou hoje a compra do Gaikai, um serviço de cloud gaming, pela bagatela de $380 milhões de dólares. Assim, usuários de produtos da Sony serão capazes de utilizar a tecnologia e os serviços da Gaikai no futuro.

Nós estamos honrados em poder ajudar a Sony à aproveitar o poder da interatividade do sistema em nuvem e à continuar a crescer o seu ecossistema, à capacitar os seus desenvolvedores com novas habilidades, à melhorar dramaticamente o alcance do seu conteúdo e à trazer novas experiências para os usuários ao redor do mundo“, disse David Perry, o fundador do Gaikai.

Mas, peraí, o que é esses sistema de cloud-gaming? São jogos só com o Cloud de Final Fantasy?

Não, amigo. Cloud gaming, ou jogos em nuvem, é um sistema de jogo bem interessante. Basicamente, você acessa servidores espalhados pelo mundo, que funcionam mesmo como nuvens, e pode jogar à partir dessas máquinas. Basicamente, você pode jogar títulos que estão instalados em outros computadores. Ou seja, você pode jogar qualquer título à partir de qualquer plataforma com acesso à internet. Teoricamente.

Como todo o processamento do jogo é feito nos servidores do serviço, não importa muito qual a configuração da máquina do usuário, já que ele só vai receber um streaming do game. O que acontece é: você dá um comando no seu computador, esse comando vai até os servidores onde o game está rodando, o game executa o comando, o servidor processa o game e envia a imagem do que está acontecendo para o jogador, praticamente em tempo real.

Caraca, parece fantástico. Mas a Sony já tem o PlayStation, pra que ela quer o Gaikai?

Bom, provavelmente para integrar tudo com os aparelhos da Sony. Teoricamente, se você tem uma conexão à internet de qualidade, você pode jogar os títulos do Gaikai até pelo Faceboook, se quiser. O detalhe é que você não precisa pagar os R$200 que custam os jogos e também não precisa ter uma máquina com configurações altíssimas pra rodar os games.

A aplicação mais óbvia é colocar o Gaikai pra rodar no PS3 e no vindouro PS4, mas o céu é o limite quando uma empresa de tecnologia com o alcance da Sony coloca as mãos numa tecnologia como a do cloud gaming.

Vamos ver o que vem pela frente.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...