Simulador de Cabras vai virar jogo DE VERDADE

Leandro de Barros

  terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Simulador de Cabras vai virar jogo DE VERDADE

Desenvolvedores de Goat Simulator iniciam pré-venda do game

Na semana passada, surgiu na Internet um vídeo de um game que seria um “simulador de cabras”. O jogo, que até tinha gráficos decentes, não passava de um teste de sistema do pessoal do Coffee Stain Studios e não era um “game de verdade”.

Porém, a Internet é um lugar obscuro, cujas regras ainda são um mistério para todos nós. Goat Simulator (o nome do vídeo) acabou caindo nessa rede fantástica que interliga o mundo e foi um sucesso absurdo. Imediatamente, centenas de milhares de pessoas clamavam que os jovens do Coffee Stain Studios realmente produzissem Goat Simulator como um game de verdade e vendessem a parada – o que, descobrimos agora, foi a razão pela qual a Internet foi inventada em primeira lugar.

Parafraseando Dom Pedro I, os responsáveis pela Coffee Stain Studios não se acanharam e disseram “se é para o bem de todos e felicidade geral da Internet, digam à Internet que Goat Simulator será feito!”. E assim foi feito, já que o estúdio disponibilizou o primeiro trailer oficial de Goat Simulator e anunciou que o jogo estará disponível no Steam ainda nesse ano.

A pré-venda do game já está rolando no site oficial de Goat Simulator e dará acesso ao título 3 dias antes do lançamento oficial (ainda sem data definida). À princípio, Goat Simulator será exclusivo para PC através do Steam.

Eu só lamento que Roger Ebert (ferrenho opositor do vídeo-game como forma de arte) não esteja vivo para poder jogar esse game. Afinal, um título que une centenas de milhares de pessoas de raças e culturas diferentes no desejo de viver a vida de uma CABRA não pode ser chamado de outra coisa que não “arte”.

Na sua cara, Marta Suplicy! Na sua cara!


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários