Shigeru Miyamoto não gosta do termo “mundo aberto” pra descrever o novo Zelda

Em uma sessão de perguntas e respostas com os acionistas da Nintendo, o lendário Shigeru Miyamoto comentou o novo game da série The Legend of Zelda, que está em desenvolvimento dentro da empresa japonesa.

O criador do Mario e de Zelda disse que, ao contrário do que a própria Nintendo fez na E3, não gosta do termo “mundo aberto” para descrever o novo Zelda.

[quote]Eu prefiro não usar o termo “mundo aberto” enquanto estou desenvolvendo um jogo. Esse termo significa que existe um grande mundo onde os jogadores poderão fazer inúmeras coisas todos os dias. Tradicionalmente, em The Legend of Zelda, o jogador passa por uma dungeon por vez. Por exemplo, se existem oito dungeons no jogo, quando o jogador chegar na 4ª eles podem pensar ‘Eu já estou na metade do game’, enquanto outros jogadores pensariam ‘Eu ainda tenho metade do game pra jogar’. Nós estamos tentando quebrar esse mecanismo gradualmente e desenvolver um estilo de jogo onde você poderá aproveitar de The Legend of Zelda livremente em um vasto mundo, sempre que você tiver tempo pra isso[/quote]

Pela descrição de Miyamoto, o novo Zelda não será um “mundo aberto” ao estilo GTA ou mesmo Skyrim, mas sim um grande e vasto mundo que permitirá que os jogadores resolvam as dungeons na ordem que quiserem. Há uma diferença sutil, mas que é tão sutil que talvez não chegue a importar muito.

Para relembrar, veja o vídeo do game divulgado na E3 2014:

via Nintendo

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...