Shigeru Miyamoto não gosta do termo “mundo aberto” pra descrever o novo Zelda

Leandro de Barros

  sexta-feira, 04 de julho de 2014

Shigeru Miyamoto não gosta do termo “mundo aberto” pra descrever o novo Zelda

Criador da franquia explica sua visão pro novo game

Em uma sessão de perguntas e respostas com os acionistas da Nintendo, o lendário Shigeru Miyamoto comentou o novo game da série The Legend of Zelda, que está em desenvolvimento dentro da empresa japonesa.

O criador do Mario e de Zelda disse que, ao contrário do que a própria Nintendo fez na E3, não gosta do termo “mundo aberto” para descrever o novo Zelda.

Eu prefiro não usar o termo “mundo aberto” enquanto estou desenvolvendo um jogo. Esse termo significa que existe um grande mundo onde os jogadores poderão fazer inúmeras coisas todos os dias. Tradicionalmente, em The Legend of Zelda, o jogador passa por uma dungeon por vez. Por exemplo, se existem oito dungeons no jogo, quando o jogador chegar na 4ª eles podem pensar ‘Eu já estou na metade do game’, enquanto outros jogadores pensariam ‘Eu ainda tenho metade do game pra jogar’. Nós estamos tentando quebrar esse mecanismo gradualmente e desenvolver um estilo de jogo onde você poderá aproveitar de The Legend of Zelda livremente em um vasto mundo, sempre que você tiver tempo pra isso

Pela descrição de Miyamoto, o novo Zelda não será um “mundo aberto” ao estilo GTA ou mesmo Skyrim, mas sim um grande e vasto mundo que permitirá que os jogadores resolvam as dungeons na ordem que quiserem. Há uma diferença sutil, mas que é tão sutil que talvez não chegue a importar muito.

Para relembrar, veja o vídeo do game divulgado na E3 2014:

via Nintendo


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários