Segundo chefão da Nvidia, não é possível que consoles tenham melhores gráficos que PCs

Leandro de Barros

  quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Segundo chefão da Nvidia, não é possível que consoles tenham melhores gráficos que PCs

Tony Tomasi afirma que a tecnologia empregada no desenvolvimento de hardwares para PCs hoje em dia é o limite teórico do que se pode fazer no momento e não há como os consoles ultrapassarem esse tipo de esforço

Além da eterna disputa entre plataformas, existe uma outra luta no mundo dos games tão antiga como a batalha entre o bem e o mal, certo ou errado, Corinthians e Palmeiras: o duelo entre PCs e video-games.

É mais vantagem comprar um PC e melhorá-lo ou comprar um console da nova geração? E os exclusivos? E isso? E aquilo? São tantas perguntas e tantas discussões intermináveis em fóruns de tecnologia e video-games por essa vasta rede chamada Internet!

Agora, uma nova adição veio para se unir à esse tradicional chuta-canelas: o Vice-Presidente de Conteúdo e Tecnologia da Nvidia, Tony Tamasi, afirmou que não é possível que consoles consigam ter gráficos melhores que um PC.

Certamente que isso era possível com o PlayStation e o PS2, em um momento em que não existiam gráficos realmente bons para PC. Quando o PS2 surgiu é que o 3D realmente começou a vir para o PC, mas antes disso, o 3D era de domínio da Silicon Graphics e outros postos de trabalho de 3D. Sony, Sega ou Nintendo podiam investir em levar gráficos 3D para as suas plataformas de consumo. De fato, o PS2 era mais rápido que um PC.

Quando chegaram o Xbox 360 e o PS3, os consoles já estavam empatados com os PCs. Se você olhar dentro dessas caixas, ambas são desenvolvidas com tecnologias da AMD ou Nvidia, porque nessa época todas as inovações gráficas estavam sendo feitas por empresas de desenvolvimento para PC. A Nvidia gasta $1,5 bilhões de dólares americanos por ano em pesquisa e desenvolvimento de gráficos todos os anos e, durante um ciclo de vida de um console, nós gastamos mais de $10 bilhões de dólares em pesquisa de gráficos.

Sony e Microsoft simplesmente não podem se dar ao luxo de gastar esse tipo de dinheiro. Eles simplesmente não tem a capacidade de investimento para igualar o pessoal dos PCs; e nós podemos fazer isso graças à economia de escala, já que vendemos milhares de milhões de cópias de placas gráficas, ano após ano

O executivo ainda explicou que, quando as gerações anterioes de consoles foram lançadas, os computadores mais recentes não eram criados para trabalhar nos limites do que era possível fabricar. Agora, as empresas especializadas em desenvolvimento de PCs trabalham com “o limite teórico do que é possível fazer”. Portanto, é impossível para os video-games ultrapassarem os PCs – no máximo, empatar.

Obviamente, ele está falando sempre das máquinas de última geração e os lançamentos mais recentes das empresas ligadas ao desenvolvimento de hardwares de PC. Também é claro que essa discussão é um pouco mais profunda do que isso, já que sai uma nova geração de consoles por década praticamente, enquanto os lançamentos para PC são anuais – e essa discussão inclui gastos pro consumidor, além de várias outras vertentes.

via PC Power Play


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários