PS4 não bloqueará jogos usados – veja mais imagens do Dualshock 4.0

Leandro de Barros

  quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

PS4 não bloqueará jogos usados – veja mais imagens do Dualshock 4.0

Presidente da Sony confirma que o PS4 não bloqueará jogos usados, terá 149 empresas como parceiras e não tem custo de desenvolvimento tão elevado

Pois bem, ontem a Sony anunciou oficialmente o PS4, seu novo console e o início da nova geração de video-games na indústria do entretenimento. Tudo bonito, legal, algumas pessoas gostaram e outras não e o mundo segue.

Como não poderia deixar de ser, algumas novas informações foram divulgadas após a conferência e você pode conferir abaixo um apanhado do que foi dito por enquanto.

PS4 não terá bloqueio de jogos usados

Uma das questões mais polêmicas sobre a nova geração de consoles é o mercado de jogos usados. Um dos rumores mais recorrentes da nova geração de consoles falava que o PS4 e o Xbox 720 viriam com travar anti-jogos usados, proibindo assim esse tipo de comércio. Porém, a informação era falsa e o presidente da Sony, Shuhei Yoshida, confirmou que o PS4 rodará sim jogos usados.

“Essa é a expectativa geral dos consumidores. Eles compram o game em mídia física, então eles querem usar em qualquer lugar, certo? Então, essa é a minha expectativa também“, disse Yoshida.

Ainda que o mercado de jogos usados no Brasil não seja tão importante como é nos EUA ou na Europa, é interessante saber que a Sony não pretende atacar o mercado.

via Eurogamer

 PS4 não exigirá conexão permanente com a internet

Também ao Eurogamer, Shuhei Yoshida confirmou que o PS4 não obrigará os jogadores a ter uma conexão permanente à Internet: “Ah, sim, sim, você pode ficar offline à vontade. Social é algo bem importante pra nós, mas a gente entende que algumas pessoas são anti-sociais. Então, você não quiser se conectar com ninguém, você pode fazer isso”, disse.

4k no PS4? Só para vídeos

A tecnologia 4K, que permite uma resolução gigantesca no cinema e em televisores, poderá pintar no PS4, mas não para games. Basicamente, Shuhei Yoshida disse ao Joystiq que vídeos pré-renderizados feitos em 4k rodarão normalmente em um PS4 ligado à um televisor 4k, mas que essa resolução ainda não está disponível para os games do console. Talvez na próxima geração…

Custo de desenvolvimento no PS4 não é tão alto quanto o esperado

Uma outra preocupação sobre a nova geração era o seu custo de desenvolvimento. Atualmente, centenas de milhões de dólares são gastos no desenvolvimento de um grande blockbuster para o PS3 – então, aumentando o potencial gráfico e de processamento no PS4, esse orçamento iria para as alturas, certo? Segundo a Guerrilla Games, errado.

O diretor da empresa, Hermen Hulst, afirmou ao GI que os custos de desenvolvimento no PS4 não subiram tanto quanto as pessoas achavam – apesar de sim, terem subido. Em termos comparativos, ele afirmou que a equipe de desenvolvimento de Killzone: Shadow Fall, anunciado ontem, tem cerca de 150 pessoas, enquanto a equipe de desenvolvimento de Killzone 2 tinha 125.

Hulst ainda afirmou que o objetivo da nova geração, para os desenvolvedores, é otimizar o processo de criação de jogos, usando ferramentas mais eficientes e mantendo os custos num padrão razoável.

Imagens do controle do PS4

[nggallery id=759]

PS4 terá cerca de 149 empresas parceiras na indústria dos games

Quando uma empresa faz um console, ela também costuma fazer jogos próprios. Esses jogos são chamados de “first party”. Num exemplo fácil, os jogos do Mário são jogos first party dos consoles da Nintendo. Porém, outras empresas também produzem games para os consoles dos outros – sendo chamadas de empresas third party. A Ubisoft, por exemplo, é uma dessas.

De acordo com a Sony, o PS4 terá o apoio de cerca de 149 empresas third party. Serão 149 empresas produzindo títulos para o vindouro console japonês.

Confira a lista:

  • 2k – publica Bioshock e Mafia;
  • 4A Games – produz a franquia Metro;
  • 505 Games – estúdio europeu de jogos casuais;
  • 5th Cell – criadora de Scribblenauts;
  • Activision – distribuidora de Call of Duty e vários outros títulos;
  • Acquire – desenvolvedora da sensacional franquia Way of the Samurai;
  • Arc System Works – desenvolvedora da franquia de luta BlazBlue;
  • Artdink – faz os jogos da série Gundam;
  • ASCII Media Works – publisher japonesa, não é muito conhecida no Ocidente;
  • Atlus – criadora da franquia Persona – pode ser que Persona 5 venha em breve pro PS4;
  • Avalanche Studios – de Just Cause;
  • Behaviour Interactive – trabalha em vários títulos de menor expressão;
  • Bethesda – franquia The Elder Scrolls;
  • Blitz Games Studios – jogos familiares;
  • Blizzard – Diablo, World of Warcraft, etc;
  • Bloober Team – jogos menores também, estão trabalhando em um MOBA pra PS3 e Vita;
  • Bohemia Interactive – desenvolvedora de DayZ e do simulador militar ArmA;
  • Certain Affinity – trabalha em portagens de games para diferentes plataformas;
  • Capcom – franquia Street Fighter, Resident Evil, etc…;
  • City Interactive – publica a franquia Sniper: Ghost Warrior;
  • CD Projekt – vai levar The Witcher 3: Wild Hunt pro PS4, além de Cyberpunk 2077;
  • Climax – desenvolvedora britânica;
  • Codemasters Racing – produz jogos de corrida;
  • Crafts & Meister – estúdio japonês, mais focado em games portáteis, como Code Geass;
  • Criterion Games – estúdio da EA Games, trabalha na franquia Need for Speed e Burnout;
  • Croteam – desenvolve Serious Sam;
  • Curve Studios – estúdio indie;
  • CyberConnect2 – estúdio japonês da Namco e Capcom, faz games baseados em animes como Naruto – também fez Asura’s Wrath;
  • D3 Publisher – outro estúdio japonês da Namco, faz jogos de Ben 10;
  • Devolver Digital – publica os jogos da série Serious Sam;
  • Dimps – estúdio japonês que fez alguns trabalhos nos últimos Sonic;
  • Disney – dispensa apresentações, deve levar Disney Infinity pro PS4;
  • Double Fine – franquias como The Cave, Brutal Legends e afins;
  • Double Helix – desenvovedora americana;
  • Drinkbox Studios – estúdio canadense indie;
  • EA – dispensa apresentações, deve levar as franquias Battlefield e FIFA pro PS4;
  • Ede of Reality – faz portagens;
  • Farsight Studios – estúdio americano;
  • Farshark – estúdio suíco de War of the Roses;
  • Flying Wild Hog – estúdio indie polonês, fez Hard Reset;
  • From Software – faz a série Armored Core e Dark Souls;
  • Frozenbyte – desenvolvedora de Trine;
  • Gaijin Entertainment – estúdio russo, produz X-Blades;
  • Gaijin Games – desenvolvedora indie, fez Bit.Trip;
  • Ganbarion – desenvolvedora japonesa, fez Pandora’s Tower;
  • Gearbox Software – criadora da franquia Borderlands;
  • Genki – jogos de corrida japoneses;
  • Grasshopper Manufacture – do designer Suda51, fez Lollipop Chainsaw, Shadows of the Damned, etc;
  • Gust Co. – faz a série Ar Tonelico;
  • Hello Games – fez Joe Danger;
  • GungHo – desenvolvedora japonesa de jogos mobile;
  • Idea Factory – fez Spectral Souls;
  • Imageepoch – desenvolvedora de JRPGs;
  • InXile Entertainment – fez Hunted: The Demon’s Forge;
  • Just Add Water – desenvolvedora britânica, fez a portagem de Oddworld para plataformas modernas;
  • Kadokawa Games – empresa japonesa, possui licenças de várias franquias gamers;
  • Kalypso Media – alemã, mais focada em games de PC, como Tropico;
  • Keen Games – alemã, ajudou no desenvolvimento de Sacred 3;
  • Klei Entertainment – indie, fez o ótimo Mark of the Ninja;
  • Konami – dispensa apresentações, deve levar Metal Gear Solid: Ground Zeroes pro PS4;
  • Lab Zero, Inc – fez Skullgirls;
  • Level-5 – cria a franquia Professor Layton, além de Ni No Kuni;
  • LucasArts – jogos de Star Wars;
  • Lucid Games – franquia de corrida Bizarre Creations;
  • Marvelous AQL – faz a série Harvest Moon;
  • Mediatonic – fez Robot Unicorn Attack;
  • Mercury Stream – desenvolvedora espanhola, trabalhou em Castlevania: Lords of Shadow;
  • Milestone – franquia MotoGP;
  • Namco – dispensa apresentações;
  • Nicalis – desenvolvedora de jogos indie como Cave Story;
  • Ninja Theory – o novo DmC: Devil May Cry;
  • Nippon Ichi – faz a série Disgaea;
  • Nixxes – faz portagens de jogos da Square-Enix;
  • Paradox Interactive – jogos de simulação para PC;
  • Platinum Games – criadaora de Bayonetta;
  • Quantic Dream – fez Heavy Rain e trabalha em Beyond: Two Souls;
  • Rebellion Developments – fez Sniper V2;
  • Rockstar – franquia GTA e afins;
  • Rovio – criadora de Angry Birds;
  • Saber Interactive – trabalha com a 343 Industries;
  • SEGA – criadora do Sonic;
  • Slant Six Games – canadense que trabalhou em Resident Evil: Operation Raccoon City;
  • Sony – dã, de God of War;
  • Spark Unlimited – fez Lost Planet;
  • Spike Chunsoft – japonesa, fez Zero Escape: Virtue’s Last Reward;
  • Splash Damage – faz mods e fez Brink, de 2011;
  • Square-Enix – Final Fantasy, Dragon Quest, Hitman, Tomb Raider…;
  • Stainless Games – nova dona da franquia Carmageddon;
  • Starbreeze Studios – fez The Darkness, Syndicate;
  • Straight Right – time australiano que trabalhou em Mass Effect 3;
  • SystemSoft – desenvolvedora japonesa, fez a franquia Fantasy Knight;
  • Team 17 – franquia Worms;
  • TechLand – desenvolvedora de Dead Island;
  • Tecmo Koei – Dead or Alive;
  • Telltale Games – fez The Walking Dead;
  • Tri-Ace – faz JRPGs;
  • Turtle Rock – estúdio da THQ comprado pela Take Two;
  • Ubisoft – dispensa apresentações, Assassin’s Creed, Prince of Persia, Far Cry;
  • Vector Cell – time francês, fez Flashback;
  • Vlambeer – fez Super Crate Box;
  • Warner Bros. – jogos de heróis da DC, especialmente o Batman;
  • Wayforward Technologies – mais focada em jogos com sprites, como Bloodrayne: Betrayal;
  • Yager – fez Spec Ops: The Line;
  • Yuke’s – desenvolvedora de jogos de WWE;
  • Zombie Studios – fez Blacklight

Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários