Presidente da Square-Enix quer empresa focada em JRPGs novamente

Yosuke Matsuda, o novo presidente da Square-Enix, disse em entrevista ao Nikkei Trendy que quer a empresa focada no desenvolvimento de JRPGs novamente.

O executivo revelou que, analisando algumas informações sobre recentes sucessos (ou jogos não-tão-bem-sucedidos-assim) na história recente da empresa, percebeu que os fãs de RPGs ao estilo oriental não são um nicho reservado apenas ao Japão, mas que estão espalhados pelo mundo.

[quote]No passado, quando desenvolvemos jogos pensando no mercado global, nós perdemos o nosso foco e não apenas fizemos games que não eram para os japoneses, mas que acabaram se tornando títulos incompletos que nem mesmo eram adequados à uma audiência global. Por outro lado, existem jogos como Bravely Default, um RPG com seus próprios elementos feitos para o público japonês, que acabou vendendo muito bem pelo mundo[/quote]

Percebendo que existe público pelo mundo para bancar as produções de jogos que antes eram vistos como “de nicho”, Matsuda defende que as desenvolvedoras não precisam (e não devem) alterar suas franquias e seus talentos para agradar um genérico “público geral”. Para ilustrar seu ponto, ele cita Hitman: Absolution, lançado pela própria Square (mas desenvolvido pela IO Interactive) em 2012.

[quote]O time de desenvolvimento de Hitman: Absolution realmente sofreu por causa disso [tentar fazer o game e a franquia mais “agradáveis” ao “público padrão”]. Eles implementaram uma grande quantidade de “elementos para as massas” ao invés de elementos para os fãs da série, já que estavam tentando atingir a maior quantidade de novos jogadores possível. Foi uma estratégia para ganhar um apelo de massa para o game. Porém, o que faz a série Hitman boa é o seu apelo aos seus jogadores mais hardcore e muitos fãs sentiram uma falta de atenção nesse sentido, o que fez com que o game sofresse nas vendas.. Então, para os títulos AAA que estamos desenvolvendo para as nossas séries, nós basicamente queremos voltar às suas raízes e focar no público fiel, enquanto trabalhamos em um conteúdo que poderá fazer com que os fãs digam coisas como ‘Esse é o Hitman que eu conheço0. Acredito que essa é a melhor maneira dos nossos estúdios mostrarem suas forças.[/quote]

Yosuke Matsuda sem dúvidas está mudando a maneira de pensar da Square-Enix. Se isso fará com que a empresa tenha um desempenho financeiro melhor do que o que andou tendo nos últimos tempos, só o tempo dirá.

[vejamais]

+ sobre a Square-Enix:

[/vejamais]

via Siliconera

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...