Off-Topic – Nossas impressões sobre a E3 2014

Leandro de Barros

  domingo, 15 de junho de 2014

Off-Topic – Nossas impressões sobre a E3 2014

E3 2014 tem vários jogos e muito CGI, mas o que a gente achou dessas conferências?

Após todas as conferências da E3 2014, nossos saudáveis símios-evoluídos se reúnem para a tradicional discussão pós-E3 que acontece dentro do coraçãozinho de cada pessoa que acompanha as novidades da indústria dos joguinhos.

Será que a Microsoft conseguiu fazer com que alguém se interessasse pelo Xbox One? E a Sony, manteve o nível e evitou se gabar do sucesso do PS4? E ainda, qual a resposta para o Dilema Nintendo: afinal, a Big N está em crise e só o Reggie e Iwata passando vergonha vai tirá-los de lá ou é a palhaçadinha entre os dois que colocou a Nintendo em crise?


Edaum: Vocês me permitem começar essa zueira dizendo que, apesar de duramente traído pela Ubisoft, o hype dessa E3, para mim, recai sobre The Division?

Leco: Permitir, eu permito. Concordar, aí são outros 500 (e vai custar caro!!)

Thiago: Se vocês não tão no hype de Far Cry 4, sinto dizer que estão todos: errados.

far-cry-4-box-art-revised_1024Leco: Ok, seus fanboys da Ubisoft… expliquem em 30 segundos ou menos porque vocês gostaram tanto de The Division e Far Cry 4. Valendooooo!

Thiago: Elefantes destruindo carros enquanto atiro com bestas usando uma jumpsuit. E um vilão surtado. It’s Far Cry 3 all over again. E eu amo isso. Falando um pouco mais sério sobre o jogo, ele parece fantástico. Eu adoro o foco maior que Far Cry tem na narrativa e o quanto ele é prazeroso de jogar, mesmo pra quem não gosta muito de FPS como eu. Fora isso o trailer do co-op que foi mostrado na conferência da Sony (eu acho) me deixou feliz como uma criança. E QUE VILÃO FODA.

Leco: Sobre Far Cry 4, eu concordo um pouco. Quer dizer, bastante. Eu tive alguns problemas pessoais com o 3, mas acho que o jogo está envelhecendo bem na minha cabeça (pelo menos não lembro de outros lançamentos AAA tão divertidos quanto) e todo o lance “o jogo não é o que você vê” que o roteirista disse depois meio que me ganhou. E eu achei bem divertido o que a Ubisoft mostrou sobre, acho que foi o melhor game deles na E3 desse ano – e acho que um dos pontos mais legais é que ele sai ainda esse ano, né? Os outros jogos mais interessantes são pro futuro longínquo. E porra, elefantes!!

Edaum:  Cara, Far Cry 4 tá lindo e eu adorei o 3, mas deu uma sensação de repetição (o que vamos combinar, já acontece em Watch_Dogs). The Division provavelmente será também uma repetição, mas assumiu isso, as missões provavelmente serão baseadas nas mais legais de Far Cry e Watch_Dogs, que são justamente as de conquistar estações por assim dizer, e vai colocar pessoas para jogar dos dois lados, me agradou. Fora que a temática é muito legal, eu adoro cenários pós-apocalípticos, principalmente sem monstros ou zumbis. Sem falar que prefiro mil vezes shooters em 3ª pessoa. Porém, sempre tem o porém, e a Ubisoft é uma enganadora das maiores. Vejam esse vídeo, com Far Cry 3 foi a mesma coisa.

Thiago: Eu devo admitir que não foi o jogo que mais me entreteu com seus trailers, porque que coisa mais fofa, foda e épica foi o reveal de Litle Big Planet 3, mas não tenho muito o que reclamar ali. E não é algo no esquema: “a gente tem isso aqui sendo feito. Um dia sai” que a dona EA usou durante 80% da apresentação dela.

Thiago: Sei lá, The Division me pareceu querer ser tão triste que me desanimou pra ele. Far Cry 3 me pegou de surpresa, talvez por isso seja meu jogo preferido de 2011 e é um dos casos em que “mais do mesmo” é bem o que eu quero. The Division tem potencial, até porque não segue a linha “bora fazer um catadão” de Watch_Dogs, mas tá longe de sair.

Leco:  Meu problema com The Division: coop online parece ser “obrigatório”. Curto muito um coop offline, acho que mais empresas deveriam focar nisso, gostei desse ano ser o #YearOfCoop na E3, mas sério, eu gosto de jogar sozinho. Não quero ninguém se metendo no meu jogo – NINGUÉM!!! NINGUÉÉÉÉM!

Leco:  O que vocês acharam do Assassin’s Creed Unity?

Edaum:  Sobre Assassin’s, vejam esse vídeo, HAHAHA

Edaum: Mas a verdade é que um coop no AC já deveria ter acontecido. E a revolução francesa é legal, só espero não ser um outro jogo de tutoriais como o 3, por inserir nova jogabilidade e ser a estreia na nova geração.

Thiago: Unity parece fantástico. E não parece maquiagem de trailer (o que foi meio claro que Watch_Dogs era quando anunciaram que saíram pra geração passada). Eu fiquei estranhamente decepcionado por terem tirado os modos versus do multiplayer, mas o fato de que mesmo as missões co-op da campanha podem ser feitas solo, é fantástico. E eu adoro a Revolução Francesa. Unity é um dos jogos que me fez ter segurança de que devo comprar um novo console em breve.

Leco:  Eu também fiquei agradavelmente surpreso com o Unity. O coop dele é do tipo que eu gosto: eu não PRECISO usá-lo, mas se eu fizer uma chamada de Skype com os amigos e a gente jogar junto, vai ser legal pra caramba. E me pareceu lindão, mas com esse vídeo do Eder aí eu fico com o pé atrás, né?

Leco:  Mas agora que a gente falou sobre franquias já estabelecidas e falamos demais da Ubisoft (PAGA NÓIS, UBISOFT!), eu quero falar sobre jogos NOVOS,  recém-anunciados, IPs novinhas em folha, coisa de ouro. O que vocês curtiram mais do que foi anunciado e mostrado pela primeira vez na E3 (#NãoValeZeldaQueAGenteJáSabiaQueTinha).

Thiago: EU NÃO POSSO FALAR DO NOVO ZELDA POR QUE? Aquele trailer me fez ter pequenos orgasmos.

Leco:  Depois a gente fala com mais cuidado do Zelda, merece uma parte especial e a gente já sabia que ele vinha aí. O negócio é surpresa, Rainbow Six, Scalebound, o novo do Miyazaki…

siege

Thiago: Fair enough. Rainbow Six não é exatamente novo, mas tá lindo. Já tá bom pra Ubisoft tirar o atraso da franquia (6 anos só de Ghost Recon e Splinter Cell é demais). Scalebound é o “Monster Hunter-killer” da Microsoft, né? Com um humor maroto e um visual supimpa. Mas ainda não aceito trailer de CGI a essa do campeonato. Bloodborne tem um cheiro de sucesso e corações deliciosamente despedaçados pela dificuldade absurda. System-seller em sua mais pura essência. #InFromSoftwareWeTrust

Edaum:  Gostei de Sunset Overdrive, o trailer do ano passado já tinha sido legal mas era só CGI, e esse ano vimos um pouco de gameplay. Agora o jogo que eu fiquei muito de olho foi o Evolve, tem uma pegada meio Borderlands e o fato de ser um coop e te dar a possibilidade de ser o monstro é foda, gostei bastante. Rainbow Six não é propriamente novo mesmo, e eu achei os gráficos com cara de free-to-play, se for será sucesso. Leambrando que a Ubi lançou já dois Ghost Recon free-to-play. Zelda é merda (brincando, não ofendam minha mãe).

Leco:  Eu gostei do Rainbow Six (e ele é novo sim, o Patriots foi cancelado!!). Só acho um problema nele: vai depender pra cacete de estar todo mundo “levando a sério”. Não, “levando a sério” não é o termo certo, mas comprometido. Se sair cada um pra um lado atirando sem usar os recursos táticos da parada, vira zona. Mas o que mais me chamou a atenção MESMO, MESMO, MESMO foi Splatoon. Primeiro porque é um dos únicos com gameplay, segundo que é uma ideia BEM divertida. Eu consigo facilmente ver a loucura que deve ser jogar isso, garantindo vários pontos de tinta e atirando nos outros.

Edaum:  Pô, como bom fã de Minecraft o Project Spark me faria facilmente comprar um Xbox One se não fosse sair para PC. Já elogiei na E3 passada e adoraria ter visto gameplay dessa vez.

Thiago: Alguém consegue me explicar o que o Conker tá fazendo perdido no Project Spark? Anuncio mais whatever da conferência da Microsoft, mas pelo menos não foi tão boring quanto Fable Legends.

Leco:  Aí, não fala assim do Project Spark ou vai ter porrada. #RPGMakerFeelings. Eu gostei do conceito do jogo, tenho é medo de que ele me decepcione.

Thiago: Ele é bonito e parece interessante, mesmo que não seja a minha área. Mas não tem NADA a ver com o que o Conker representava. Uma pena que seja isso que restou das franquias da Rare.

Thiago: Mas, aqui, alguém mais se interessou pelos shooters anuais?

Leco:  Call of Duty: Advanced Warfare eu achei mais ou menos interessante. Obviamente tá lindão pra caramba, gosto desse “futuro” que eles criaram, mas méh pro resto. Battlefield: Hardline me interessou ainda menos com aquela jogabilidade explosiva e o vídeo onde eles derrubaram um prédio pra roubar 20 mil dólares.

Thiago: Battlefield – aonde os resultados nunca chegam compensam a destruição causada.

Leco:  Battlefield – onde o crime REALMENTE não compensa.

Thiago: Battlefield – aonde aonde a linha é dura… ok, chega. E aquele teaser marotásso de “The Rise of Tomb Raider”?

Leco:  A ideia do novo jogo é interessante, claro. E o teaser é legalzinho, mostrar a Lara ainda com cicatrizes do game anterior. Fora isso, foi só pra galera ficar animada que vai ter mais Tomb Raider – e pra avisarem que as tumbas voltaram!

Thiago: As tumbas nunca foram embora REALMENTE né? Mas é uma premissa muito legal, a Lara nova é uma psicologicamente complexa (ou tenta ser) e partir da ideia de que ela teve que fazer terapia por causa dos eventos do 1° jogo é algo com muito potencial.

Edaum:  Shooters é a mesma coisa que os jogos da EA, um desperdício de tempo. Pô, Tomb Raider e Mass Effect poderiam ter mais tempo de conferência, foi uma pena.

Thiago: Tomb Raider com certeza tá muito longe de estar pronto. Queria ter visto algo do novo Sleeping Dogs, mas não rolou. E, sério, alguém realmente achava que o Mass Effect não tava bem no começo ainda?

Leco: Um dos desenvolvedores disse pro Eurogamer que já estão na metade do desenvolvimento. Podia ter rolado um “O jogo vai ser assim ó, oia que legal”, mas beleza, já foi alguma coisa.

Thiago: A gente esperava mais que só aquilo né? A gente comentou a respeito no podcast que vai sair em breve.

Leco:  Exato, pelo menos uma ideia do que o game será, apesar de que o visual mostrado já empolgou bastante. Agora, uma questão boa para vossas excelências: qual o trailer (vale CGI ou gameplay) mais chamou a atenção de você? Atenção que estamos falando de trailer em SI, não no jogo… só o trailer

Edaum: Tenho dois: The Division como já disse, acho o trailer altamente hypável. E Uncharted né, coisa linda do senhor, apesar de não ser grande fã da franquia, acho uma jogabilidade truncada.

Leco:  Trailer por trailer, eu gostei de Sunset Overdrive e Dead Island 2, curiosamente dois com altas influências do Edgar Wright – as onomatopéias de Scott Pilgrim no primeiro e a cena do Simon Pegg andando pela cidade e não percebendo a invasão zumbi em Shaun of the Dead no segundo.

Edaum:  Há verdades nisto.

Thiago: Sunset Overdrive tá sensacionalmente fodástico. Mas, pra mim, melhor trailer é do que vai sair antes, nesse caso, o lindo do Dragon Age Inquisition que já tá vindo por aí. CG, por CG, fico com o Uncharted (que é uma franquia que eu prefiro a um certo outro jogo da Naughty Dog que ganhou versão remastered pra PS4) e Rise of the Tomb Raider.

Leco:  Sunset Overdrive conquistou corações mesmo. Agora, vamos falar de hardware, começando pela Microsoft. A missão da Microsoft era simples: fazer com que houvesse motivos pra se comprar um Xbox One, mesmo com o PS4 rodando tudo a 1080p e 60fps. Eu senti que a Microsoft fez o certinho, apresentou um monte de jogo, mas nada ali me convenceu a comprar um XONE. Vocês discordam?

Edaum:  Não discordo, talvez a Microsoft fez a melhor conferência desta E3 mas ainda não foi o suficiente para a galera trocar o PS4 pelo XONE, alguns jogos legais, mas se o assunto é Hardware a Sony continuou na frente a abriu vantagem com a Playstation TV, sem falar de Playstation Now e o bundle com PS Vita que promete vender ainda mais consoles.

Leco:  O que me incomodou foi a falta de exclusivos DE VERDADE VERDADEIRA (só o Scalebound mesmo, que eu lembro) e o fato de quase todos os jogos mostrados serem CG. Foram 90 minutos de game, sim, mas nada que me fizesse parar a minha vida e dizer “Nossa, preciso de um Xbox One”

Thiago: Cara, então… eu acho que eu quero um Xbox One. Como eu ACHO que terei motivos em 2015 pra ter um Wii U. Aliás, eu acho que hoje, em promessa de jogos, se não fosse por Bloodborne e Uncharted 4 Thief’s End, o Xbox One estaria relativamente a frente do PS4. A conferência da Sony teve muita promessa, muita beleza, mas nada de verdade verdadeira. Só lembrando que Sunset Overdrive, Scalebound, Halo: Master Chief Collection, Prototype e Forza Horizon 2 são todos exclusivos. A Sony é quem mostrou muito multiplataforma.

Leco: Ah é, esqueci do Sunset, até porque as pessoas já jogaram Halo (apesar do box ser legal), Forza tem o Driveclub pra compensar (e The Crew e qualquer NfS são a mesma coisa)… Mas eu achei que a Sony mostrou muito multiplataforma, mas muito exclusivo também – aliás, mostrou mais jogos. Uncharted, AZBÛ (que não ficou claro se é exclusivo ou não), Little Big Planet 3, o novo do Suda51, o Grim Fandango, o The Order, Entwined, o No Man’s Sky principalmente (o site oficial deles não dá a exclusividade pro PS4, mas tá todo mundo reportando assim)… o problema que eu senti é que a maioria dos jogos interessantes da E3, num geral, serão lançados no ano que vem – com a exceção de Dragon Age, Far Cry 4 e AC Unity.

Leco:  Lembrando agora, o Xbox vai ter de exclusivo o Inside, dos criadores de Limbo, e Ori and the Blind Forest, que parecem maneiro. Eu gostei do que a Microsoft mostrou, achei uma ótima apresentação, mas eu ainda não me vejo comprando um XONE.

Thiago: Cara… dá pra falar que o Grim Fandango é exclusivo? Por mais que seja um jogo fantástico, não né? E a impressão que eu tive dos indies foi “vai sair pra PC, mas em consoles, só pra PS4/Vita”. Eu não consigo considerar nada que esteja disponível pra PC como exclusivo (e isso inclui o Titanfall). E o No Man’s Sky é PC/PS4. Meio que a galera noticiou que o GTA V seria pra PS4, como Rise of the Tomb Raider pra X1.

Thiago: Eu consigo me ver comprando um XONE hoje? Mais do que eu conseguia me ver comprando um 3 semanas atrás. Surpreendente menos do que eu me vejo comprando um Wii U (mais por dois jogos específicos do que qualquer outra coisa), mas consigo justificar uma compra ali, principalmente pelo Sunset Overdrive.

Leco:  Ah, mas eu também consigo justificar uma compra do Xbox One, só acho mais fácil justificar um Wii U ou um PS4, haha. Eu vejo dessa forma: o XONE começou mal e até mesmo a galera que já era Xbox na antiga geração tá em dúvida se vai fazer o upgrade pro Xbox One ou se vai pro PS4. O que eu acho que a Microsoft conseguiu fazer nessa E3 foi justificar que quem já tinha predisposição a ir pro lado deles, se convencesse a comprar um console ou pelo menos esperasse pra ver como serão esses exclusivos, mas não acho que a apresentação vá ter um impacto muito positivo nas vendas do XONE.

Leco: E essa E3 teve alguma GRANDE decepção pra vocês? Um jogo que decepcionou pelo que foi mostrado, por não estar lá, por esperar uma postura diferente das empresas…

Thiago: Minha grande decepção? Hum… pergunta difícil. Talvez o fato de a Nintendo ter mostrado tão pouco do novo Zelda. E o exagero de trailers de The Division. Eu sinceramente não quero ver nada desse jogo tão cedo.

Edaum:  Haters gona hate. Decepção foi a conferência da EA num geral. Acho que muito porque eu esperava o Mass Effect, eu queria ver mais do jogo e não ligo a mínima para o Dragon Age. FIFA e a córgia dos esportes é sempre o mesmo blábláblá e nada de novo. E para piorar falaram de ser o Bruce Lee no UFC quando já se mostram vídeos diferentes disso há pelo menos um mês pela internet. E o Battlefield, who cares?

Leco:  Eu fiquei decepcionado com a EA também. Não com ela, mas comigo, por esperar que ela não fosse tão ela assim. Mas o que eu realmente me decepcionei foi com a ausência de Final Fantasy XV (sim, a Square guardou pra TGS, faz todo sentido) e The Last Guardian (sério, Sony? Nem um updatezin? Nem um “Olha, esse jogo aqui existe!”?).

Thiago: Mas o “olha, esse jogo existe” já tinha rolado graças a incompetência da IGN. Eu não entendo o que vocês realmente esperavam do Mass Effect. Agora que eles conseguiram reconstruir a reputação de Dragon Age (que manda aquele beijo no ombro das inimiga já que é uma mitologia infinitamente mais complexa e superior a Mass Effect), não iam mostrar nada sério dele. E só lembrando que Dragon Age Inquisition tá em desenvolvimento a 3 anos e meio, demorou quase 2 anos pro primeiro update true. Só esperem por Mass Effect no VGX.

Thiago: E, olha, o que eles mostraram do Madden foi impressionante. Finalmente a defesa do jogo importa, algo que eu nunca imaginei poder dizer. Fifa teve o update mais boring de todos (e conseguiu ser pior que Fable Legends, o que é um puta mérito) e o Dana White falando do UFC já virou clichê.

ibnVeI1fEUNmxl

Leco:  Então, Thiago… eu até acho que a novidade do Madden (e até a do FIFA, vai… mudanças na física são importantes) foram legais. Sério. Mas porra, pra uma E3? :P Eu tenho essa visão romântica de que as empresas vão levar jogos novos e coisa nova pra gente ver, não revelar que o jogo anual deles agora tem um sistema de defesa novo, então eu sempre me darei mal por causa disso.

Thiago: É, acho que é mais problema de expectativa x realidade então. Eu meio que abracei a beleza e a maluquice da E3 como ela é hoje, ao ponto de ter sentido falta de algo sobre o NBA 2K15 (custava levar o Durant lá?) na conferência da Sony. Não dá pra esperar vários jogos novos na E3, porque aí você corre o risco de mostrar 15 novos jogos e nenhum passar de uma nota de rodapé por causa do novo trailer de Uncharted 4.

Thiago: As empresas estão numa briga maluca por atenção. Alguém realmente se lembra do que foi anunciado ano passado depois que os trailers de Final Fantasy XV e Kingdom Hearts III foram mostrados?

Leco:  Cara, eu ia comentar exatamente isso do FF XV. Eu adoro esses momentos onde você não espera nada e BANG, TOMA FF XV NA SUA CARA, SAFADO! TOMA 10 MINUTOS DE GAMEPLAY! TOMA KINGDOM HEARTS 3! Entendo os caras ficarem preocupados em serem ofuscados por um “Watch Dogs é o nosso novo jogo” ou “One more thing… TOMA O TRAILER DE THE LAST GUARDIAN PRO PS4!”, então todo mundo fica meio preocupado com essas coisas e investe em outros eventos. Mas ás vezes falta emoção na E3, o momento mais legal foi o cara da Hello Games quase chorando depois do estúdio deles ter inundado no fim do ano passado e eles perderem vários equipamentos e 6 meses depois estão na E3 com destaque da conferência da Sony. Eu não ligava muito pro No Man’s Sky, agora já está na minha lista de jogos que eu preciso conferir. Enfim, eu falo como consumidor, não “cara que escreve num site que fala sobre o assunto”, claro XD

Thiago: A própria Square-Enix é meio vítima disso. Cara, NINGUÉM percebeu o anuncio do Final Fantasy Type-0 ou do Final Fantasy Agito pro Ocidente. E são dois jogos que tava todo mundo ansioso por jogar e que são justamente a ligação restante da Fabula Nova Chrystallys. But, hey, eu sou culpado nisso. Eu tento pensar um pouco como “cara que escreve num site/fala merda num podcast sobre o assunto”. Tanto uma benção quanto uma maldição. :P

Leco:  Pois é, mas é também porque o anúncio foi feito fora das convenções. Quase ninguém sabe que Mario Party 10 foi anunciado, mas todo mundo ficou de olho no Splatoon. Mas, no geral, eu gostei dessa E3, apesar de achar que a próxima será mais interessante…

Thiago: A gente sempre acha que a próxima vai ser mais interessante, não? hahahaha. Eu gostei. Tô bem ansioso por algumas coisas que eu vi (I FUCKING LOVE THE NEW ZELDA) e algumas surpresas me divertiram bastante, como o novo “LittleBigPlanet Yoshi”, LBP 3 e tal. O saldo, pra mim, é extremamente positivo.

Edaum:  Também achei o saldo dessa E3 positivo, e acho que depois de um ano finalmente deu para ter um vislumbre da nova geração, sentir o poder dos consoles. Claro que faltou o momento que eu passarei a chamar de momento Watch_Dogs, porque não manjo das japonezices como vocês, aquele momento que você não esperava, nem sonhava e é surpreendido. Mas no geral foi uma E3 redondinha.

Thiago: “Momento Watch_Dogs” – aquele anuncio que ninguém esperava, todo mundo hypa e depois descobre que era só mais um jogo genérico. A Ubi realmente não fez nada assim esse ano.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários