Novo estudo publicado nega conexão entre violência em mídia com violência na vida real

Leandro de Barros

  terça-feira, 06 de janeiro de 2015

Novo estudo publicado nega conexão entre violência em mídia com violência na vida real

Estudo compara aumento da retratação de violência em filmes e jogos com índice de atos violentos no mundo real

Você já conhece o padrão: acontece alguma desgraça ou tragédia, um dos culpados jogava video-game e a mídia conservadora pega esse link para fazer barulho em cima de um público ainda mais conservador e desinformado. Logo, video-games viram a razão de todo o mal no mundo.

Apesar de ainda não haver um consenso científico sobre a influência de violência em entretenimento na psique humana, um novo estudo realizado por um psicólogo americano chamado Christopher Ferguson nega que tal influência exista.

O estudo apresentado pelo psicólogo partiu de uma premissa bem diferente da maioria dos estudos realizados nesse campo. Ao invés de realizar experimentos em laboratórios ou ambientes controlados, a equipe responsável pelo estudo pesquisou a frequência de retratação de violência em mídias durante 1920 e 2005.

De posse desses dados, eles compararam com incidentes reais de violência durante esse mesmo período, para ver se o aumento de violência em filmes, jogos e afins gerava um aumento de violência no mundo real.

A conclusão do estudo é que não só o aumento de violência no entretenimento não resultou em um aumento de violência no mundo real, como o índice de atos violentos no mundo DESCEU nesse período.

O estudo do Dr. Ferguson ainda conclui dizendo que o escapismo gerado por video-games e filmes distrai o público de pressões sociais que podem ser a verdadeira causa de atos violentos, como pobreza, por exemplo.

via The Independent


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários