Miyamoto: Zelda para Wii U está em fase de pesquisa e desenvolvimento

  Leandro de Barros  |    sexta-feira, 08 de junho de 2012

Shigeru Miyamoto explica que o novo Zelda ainda está apenas em fase de pesquisa e desenvolvimento e que a Nintendo está analisando os resultados de Skyward Sword para planejar o futuro da franquia

Em janeiro, o diretor Eiji Aonuma disse que já havia um novo jogo de Zelda em desenvolvimento na Nintendo. Nosso sonho era que a Big N apresentasse na E3 2012 um game da franquia no estilo da demo técnica exibida na mesma feira no ano passado.

Isso não aconteceu.

Mas não é por causa disso que nós vamos deixar que nossos corações sejam quebrantados, certo?

Em entrevista ao Eurogamer, o sempre espirituoso Shigeru Miyamoto disse que há mesmo um novo game de Zelda em desenvolvimento, mas que o título ainda está na fase de pesquisa e desenvolvimento.

O último jogo, Skyward Sword, foi um game onde você podia usar o controle de movimento para usar suas armas e mais um monte de itens diferentes e eu achei que foi bem divertido. Porém, algumas pessoas não puderam jogar assim ou não gostaram tanto e pararam de jogar no meio do caminho. Nós estamos vendo agora como os gostos estão se expandindo nos games. Você tem algumas pessoas que preferem uma experiência mais casual e você tem algumas pessoas que preferem experiências mais profundas. Obviamente, como uma companhia que tem feito games há muito tempo, nós tendemos a ir para o lado dos games mais longos e profundos. Mas, na verdade, nós continuamos nos perguntando a mesma coisa ano após ano: ‘Qual é o elemento mais importante de Zelda, se nós quisermos fazer um game que muita gente possa jogar?’“, disse o game designer.

Com o Wii U saindo no final do ano, e a importância que o seu gamepad terá nos próximos jogos do console, nós devemos esperar por um game de Zelda que use e abuse das características fornecidas pelo controlador do Wii U.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários