Google desenvolve IA que sabe jogar video-game – e aprender novas estratégias!

Leandro de Barros

  quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Google desenvolve IA que sabe jogar video-game – e aprender novas estratégias!

Agent aprende a jogar video-games e criar estratégias para vitória

Uma subsidiária do Google conseguiu desenvolver um novo (e importante) passo em direção à criação de uma autêntica Inteligência Artificial.

A DeepMind, uma empresa britânica que o Google comprou no ano passado, desenvolveu o Agent, um programa capaz de aprender uma quantidade enorme de tarefas de maneira independente – ou seja, ele aprende sozinho.

No vídeo que você pode ver abaixo, o programa aprende a jogar um game antigo do Atari, onde o objetivo é destruir todos os pixels na parte de cima da tela. No começo, o programa não sabe bem como jogar e fica abertando botões aleatórios para ver como as coisas funcionam – mas depois de 600 sessões de treinamento (basicamente 600 sessões de jogo), ele desenvolve uma estratégia de jogo bem sucedida ao criar dois túneis laterais entre os pixels e ser mais efetivo na destruição.

Confira:

A diferença do Agent para outras IAs que “jogaram” alguma coisa, como a Deep Blue que venceu um jogo de xadrex contra Gary Kasparov em 1997, é que essas tecnologias foram pré-programadas com as regras dos jogos e estratégias específicas para vencer, superando o cérebro humano apenas por ter uma capacidade de processamento maior. Já o Agent não teve nada disso, precisando aprender como os jogos funcionam e quais melhores estratégias por conta própria.

Além do game que você vê acima, o computador aprendeu a jogar outros tantos e até disputou partidas contra game testers profissionais. Em alguns títulos, o Agent se saiu muito melhor do que os humanos, enquanto foi bem pior em outros.

A razão disso, segundo os pesquisadores, é que o algorítmo do Agent ainda não tem uma capacidade de memória que permitiria um compromisso a estratégias de longo termo e planejamento. O próximo passo do projeto será construir esse componente e testar as habilidades do Agente em jogos de computador mais realistas e em 3D.

E se você está com medo de que isso tudo evolua para máquinas que vão nos escravizar, pode ficar um pouco mais tranquilo. Segundo os desenvolvedores do projeto, nós ainda “estamos décadas longe de qualquer tipo de tecnologia que seja preocupante“.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários