Criadores de Final Fantasy e Metal Gear comentam diferenças em games japoneses e ocidentais

  Leandro de Barros  |    segunda-feira, 19 de março de 2012

Hironobu Sakaguchi diz que existe mais do que uma maneira de se fazer um game divertido enquanto Hideo Kojima critica a indústria japonesa por fazer games apenas voltados para o público oriental

Originalmente, o RPG ganhou força como gênero dos jogos eletrônicos graças à produção de títulos japoneses como Final Fantasy, Dragon Quest, Chrono Trigger e, por que não?, Pokémon.

Com o avanço da tecnologia de design dos games e aumento da potência dos consoles, os RPGs ocidentais ganharam força, apostando na liberdade da interpretação de papéis em títulos como Mass Effect, Fable e da franquia The Elder Scrolls.

Como era de se esperar, as diferenças entre os dois estilos de um mesmo gênero criaram nichos específicos no mercado de games atual. Há aqueles gamers que preferem jogar RPGs ocidentais e há aqueles que preferem os japoneses. O criador de Final Fantasy, Hironobu Sakaguchi, é daqueles que diz: “Bem, por que a gente não fica com os dois?”.

Em entrevista à Nintendo Gamer, o chefão da Mistwalker comparou as diferenças entre os dois estilos: “Muitos dos RPGs ocidentais se focam em criar um mundo e então premiar o jogador com uma grande liberdade nesse mundo, ao invés de focar na história. Eu acho que o interesse em RPGs japoneses é dividido baseado em como as pessoas se sentem sobre essa diferença de estilos“, disse Sakaguchi.

Apesar disso, o novo projeto de Sakaguchi, The Last Story (arte conceitual ao lado), vai na contra-mão dos JRPGs clássicos, permitindo ao jogador pular algumas cutscenes do game. “Eu acho que é possível criar um game divertido usando apenas elementos tradicionais do RPG.Nós temos dramas de épocas e dramas atuais e, da mesma forma, eu acho que existem muitas diferentes maneiras em que um game pode ser divertido“.

Hironobu Sakaguchi não foi o único desenvolvedor japonês a comentar as diferenças de estilo entre games japoneses e ocidentais. De maneira mais radical, Hideo Kojima, diz em entrevista à Eurogamer que os desenvolvedores japoneses precisam se inspirar mais na maneira em que os games são feitos no Ocidente.

Os estúdios ocidentais tem ido mais além do que uma visão hollywoodiana das coisas. Eles se preocupando em fazer com que seus jogos sejam um sucesso global e como eles podem fazer para vendê-los em vários mercados“, disse Kojima.

Kojima criticou os desenvolvedores japoneses por “não estarem atentos à o que as pessoas ao redor do mundo querem” e por fazerem games que são “destinados ao Japão e à cultura japonesa“.

O segredo é que o jogo tem de ser global, tem de ser algo feito para todo mundo. Eu quero me livrar de todas essas barreiras!“, completou o criador de Metal Gear.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários