Conteúdo de games criado por usuários do Youtube é tão popular quanto o de empresas

Leandro de Barros

  terça-feira, 02 de julho de 2013

Conteúdo de games criado por usuários do Youtube é tão popular quanto o de empresas

Google faz um estudo sobre os vídeos de games no Youtube e descobre algumas informações importantes sobre o mercado

O Google divulgou hoje um estudo sobre a produção de conteúdo relacionado com games no Youtube  onde é possível constatar que a produção de conteúdo feita por usuários é tão popular quanto o conteúdo criado por empresas da indústria.

Na pesquisa, intitulada Games on Youtube: Evolving Video Consumption, a empresa americana analisa uma tonelada de informações relacionadas à vídeos de games no Youtube, para chegar à algumas conclusõe significativas.

Uma delas, por exemplo, é que o tempo gasto consumindo vídeos relacionados à games no Youtube dobrou em 2012, se comparado com o mesmo tempo gasto nas mesmas atividades em 2011.

Uma outra estatística que salta às vistas é a informação de que 47% do conteúdo relacionado à games consumido no Youtube provém da criação dos próprios usuários da plataforma. Ou seja, quase metade dos vídeos de games assistidos no Youtube são os famosos detonados, reviews e gameplays comentados – mais do que isso: os conteúdos criados pela comunidade são os responsáveis por manter os jogos relevantes mesmo alguns meses depois do seu lançamento.

youtube games

Para completar, uma outra informação relevante que a pesquisa indica: cerca de um terço das visualizações de material relacionado à games no Youtube vem de dispositivos móveis, como smartphones ou tablets. Essa informação é muito importante para as empresas que produzem games, já que uma das tendências do momento na indústria é justamente a utilização de uma segunda tela – tendência essa que acaba sendo validada pela pesquisa do Google.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários