Aquecimento E3 2011: Hardware

  Leandro de Barros  |    domingo, 05 de junho de 2011

Quais são as novidades em termos de Hardware da E3? Confira nosso pequeno dossiê sobre o Project Café, o console da nova geração da Nintendo, e o PS Vita, o portátil da nova geração da Sony. Os dois devem ser apresentados na E3, que começa terça-feira.

Amigos e amigas, terça-feira começa a E3, o maior evento anual do mundo gamer. Jogadores de todo o globo estão, nesse momento, ansiosos pelo evento. E olhem, o desse ano promete. Nós temos muita coisa pela frente, ótimos jogos sendo desenvolvidos, consoles sendo desenvolvidos, uma certa rede sendo hackeada e os holofotes sendo dirigidos para Los Angeles.

Aqui no Supernovo, a gente decidiu fazer uma espécie de aquecimento para o evento. Começando hoje, vamos colocar uma matéria por dia até a terça-feira, dia do início da E3. Vamos tratar dos consoles que serão apresentados, do que gostaríamos e NÃO gostaríamos de ver anunciado na E3 . Tudo isso, nessa ordem. Começamos hoje com os CONSOLES!

Project Café – Nintendo

Vamos começar por ele, o primeiro exemplar da nova geração, PROJECT CAFÉ. É impossível falar do Cafe sem falar do Nintendo Wii, uma vez que o novo console parece nascer do segundo. Muita gente tem a impressão de que o Café será um “novo Wii” ou “Wii2” ou até mesmo um “Wii com HD“. Eu considero essa impressão errada.

Os dois grandes trunfos do Nintendo Wii foram: a) a inovação no modo de jogo; b) o investimento pesado nos jogadores casuais. Os grandes defeitos do Nintendo Wii são: a) o fraco desempenho gráfico em comparação com os concorrentes; b) a ausência de games que não sejam da Nintendo; c) o investimento pesado nos jogadores casuais. Opa, peraí. “Investimento nos jogadores casuais” é um trunfo e um defeito? Exato. Acredito que, graças a diferença de capacidade nos consoles, a Nintendo decidiu investir pesado em jogos divertidos, estilo party, para jogadores casuais. Essa decisão afastou os jogadores hardcore e trouxe todos os casuais pro Wii. Perde-se num lado, ganha-se noutro. Mas a Nintendo não é boba.

Conhecendo a empresa japonesa, eu realmente duvido que eles se limitem à criar um novo console igual ao anterior, só que com HD. Na minha opinião, eles vão aperfeiçoar os pontos positivos e tentar eliminar os negativos. Nós já sabemos que eles estão fazendo demonstrações do console para desenvolvedoras de game, com o intuito de levar essas desenvolvedoras à produzir seus jogos para o Project Café mais cedo (o chefão da Ubisoft disse que o console é “fantástico”). Fora isso, a Nintendo também já prometeu kits de desenvolvimentos mais acessíveis. O que isso significa? Pra desenvolver um jogo pra essa nova geração, é preciso muito trabalho e muito dinheiro. Prova disso é a quantidade de franquias existentes em relação à quantidade de jogos novos. Pouca gente cria algo novo, porque isso custa muito. As empresas criam, ganham dinheiro e depois reaproveitam o material pra lançar outros jogos da mesma franquia. Com os kits de desenvolvimento, a Nintendo pretende conseguir, não só uma maior compatibilidade com os títulos do PS3 e do Xbox 360, como incentivar a criação de novos títulos. Ponto pra Big N.

Com o anuncio da Nintendo de que o Project Café terá mais capacidade que os seus concorrentes, mais os kits de desenvolvimento e as demonstrações para as desenvolvedoras, é fácil dizer que o console será oficialmente apresentado ao público com alguns grandes títulos já anunciados. Ou seja, temos mais capacidade, temos a volta dos hardcores pro console da Nintendo. Aos poucos, a Nintendo parece ter corrigido todos os grandes defeitos do Wii.

E as qualidades? Será que mantém-se? Bom, o investimento nos jogadores casuais, deve manter-se. Com as outras empresas focando no desenvolvimento de grandes games para o Project Café, é possível que a Nintendo foque-se no que sabe fazer melhor: jogos divertidos. E é isso que atrai os jogadores casuais. A Nintendo tem experiência nessa área e acredito que eles manterão o ritmo. Já nas inovações, esse é um caminho meio nebuloso ainda.

Acredito que esse seja o ponto que a Nintendo tem mantido em maior segredo. Nós ainda não sabemos exatamente qual é a grande jogada do Project Café. Talvez seja o seu controle, com uma telinha estilo o DS.  Nós não sabemos ao certo. O que sabemos é que a Nintendo tem histórico de não ter medo de arriscar e apresentar novas tecnologias e que eles parecem focados em fazer esse console dominar o mercado. Podemos apostar que vem coisa por aí.

Ainda assim, nem tudo são flores. Não há muitos comentários sobre os outros pontos criticados na Nintendo, por exemplo: a sua complicadíssima rede online e a mídia que usará no Project Café. Quem tem Wii sabe a dificuldade que é jogar online com um amigo. É preciso digitar um imenso friend code, um pra cada amigo e cada jogo. Isso já mudou um pouco no 3DS, mas ainda precisa melhorar mais. O ideal é ter mesmo uma rede online user friendly e muito bem construída. E de preferência, não vulnerável à ataques, né Sony?

E ainda sobre a mídia, muitos tem dito que o Project Café usará Blu-Ray. Se for verdade, é ótimo. O Blu-Ray tem se popularizado muito fácilmente, inclusive no Brasil e tem uma capacidade de armazenamento de dados incrível. É a melhor opção atualmente, tanto para o consumidor quanto para os desenvolvedores.

Num resumão, nós temos a Nintendo dando indicações de que corrigirá os principais defeitos do Wii, como a pouca capacidade, o afastamento das desenvolvedoras e o afastamento dos jogadores hardcores. Por outro lado, temos também indicações de que as grandes qualidades vão se manter. De incógnita, ficamos apenas com a rede online do console e a mídia dele. O Project Café promete colocar a Nintendo na liderança da nova geração.

PS Vita (NGP) – Sony

Em contraste com o nebuloso e repleto de especulações Project Café, nós temos o novo portátil da Sony, PS Vita (ou NGP). A grande incógnita desse portátil é o nome. Ao que parece, será mesmo PS Vita, já que algumas imagens vazaram com esse nome no portátil e “PS Vita” está em toda parte no código-fonte do site da Sony. É, foram lá procurar por isso.

Enquanto ninguém sabe nada do Project Café, a gente já sabe tudo do PS Vita, até as especificações técnicas:

CPU: ARM® Cortex™-A9 core (4 núcleos)

GPU: SGX543MP4+

Dimensões: Aproximadamente 182 x 18.6 x 83.5mm (largura x altura x profundidade)

Tela: 5 polegadas (16:9), 960×544, aproximadamente 16 milhoes de cores, tela multi-toque OLED

Touch Pad Traseiro: Multi touch pad

Câmeras: Duas, na frente e atrás

Som: Alto-falantes estéreos embutidos, microfone embutido

Sensores: Sistema de sensor de movimentos de seis eixos (giroscópio de três eixos, acelerômetro de três eixos), bússola eletrônica de três eixos

Navegação: GPS embutido com suporte a Wi-Fi

Botões: Botão guia, Força, Direcionais (Cima, Baixo, Esquerda, Direita), Comandos (Triângulo, Círculo, Quadrado, Cruz, R, L), Analógicos direito e esquerdo, Start, Select, controle de volume

Conexão sem fio: 3G, Wi-Fi IEEE 802.11b/g/n (n = 1×1), Bluetooth 2.1+EDR (A2DP/AVRCP/HSP)

Como eu disse, já sabemos muito dele.

A verdade é que o PS Vita é a bóia da Sony nessa E3. A empresa não tem, exatamente, a melhor lista de jogos da E3. Também passa por um momento complicadíssimo, recém saída da crise da PSN e sofrendo ameaças de mais complicações no futuro. Sendo assim, a grande esperança da empresa está reside no portátil, que é o primeiro da nova geração de portáteis.

Uma das inovações do NGP está na distribuição dos conteúdos. Ele usará o sistema de distribuição por download (igual o usado no finado PSP Go) e um formato novo baseado em memórias flash, desenvolvido especialmente pro NGP. Se isso é um passo acertado ou não, ainda é cedo pra dizer. O PSP Go não deu muito certo e um formato novo deve dificultar a adaptação de títulos do PSP, além de demandar tempo pros desenvolvedores dominarem o formato. Vamos ver.

Outro ponto a considerar do PS Vita é o preço. Ainda não sabemos qual vai ser o preço do portátil, mas o Gamespot colocou-o em pré-veda por $999 dólares. Não é exatamente o melhor preço do mundo. Na verdade, está bem caro em comparação à outros consoles e portáteis.

A bateria do portátil deve durar de 3 ~ 5 horas, dependendo das funcionalidades utilizadas. É um bom tempo, considerando que o portátil provavelmente vai ser usado entre atividades, como indo para a escola/faculdade/trabalho.

Entre as funcionabilidades do GPS embutido, tem uma muito legal: existirá um programa chamado Near, que mostrará as pessoas perto de você que possuem o PS Vita e quais os jogos favoritos, provavelmente possibilitando que vocês joguem por ali.  Essa é uma boa inovação na conectividade do portátil.

Enquanto a Nintendo dá indicações de que está fazendo tudo certo no Project Café, a Sony indica que o PS Vita será um PSP renovado. Essa é a minha visão das coisas. Acredito que ambos terão publico e se firmarão no mercado, com mais destaque para o Project Café, claro. Consoles de mesa tendem à fazer mais sucesso que portáteis.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários