Crítica O Lugar Onde Tudo Termina

Ryan Gosling, Bradley Cooper, Eva Mendes, Dane DeHaan e Rose Byrne no novo filme de Derek Cianfrance (Namorados Para Sempre)

Leandro de Barros

  quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ryan Gosling, Bradley Cooper, Eva Mendes, Dane DeHaan Rose Byrne compõem o elenco de O Lugar Onde Tudo Termina, novo filme do relativamente novato diretor Derek Cianfrance (Namorados Para Sempre), que também co-escreveu o roteiro ao lado de Ben Coccio e Darius Marder.

É provável que o amigo leitor já tenha visto algum trailer do filme por aí e, se esse for o caso, permita-me fazer um esclarecimento logo no começo: esqueça o que você viu no trailer, ok? Ou não esqueça e vá para os cinemas mesmo assim – você sairá da projeção positivamente surpreso ao ver que aquele filme de roubo que foi vendido no trailer é na verdade um drama muito bem construído e executado.

Lugar Onde TUdo Termina Critica 01

A trama de O Lugar Onde Tudo Termina é dividida em três grandes atos, cada um deles protagonizado por um personagem diferente, mas todos interligados – o personagem que lidera um arco é coadjuvante em outro, por exemplo.

No primeiro deles, temos Luke Glanton (Ryan Gosling), conhecido como Handsome Luke, um motociclista que faz performances perigosas em um circo. Durante uma apresentação em uma cidade no interior do estado de Nova York, Luke reencontra Romina (Eva Mendes), com quem ele teve um caso há algum tempo – porém, a garota não está só: ela carrega Jason, filho de Luke.

O motociclista decide largar o circo para poder cumprir seu papel de pai com o garoto e tenta arranjar um emprego por ali. Suas habilidades em cima de uma moto o levam a conhecer Robin (Ben Mendelsohn), um mecânico que assaltava bancos no passado. Juntos, os dois voltam a aplicar golpes pelo interior do estado.

Esses assaltos nos levam ao segundo ato do filme, protagonizado por Avery (Bradley Cooper), um policial relativamente novato que é filho de um promotor do estado. Enquanto lida com as pressões da mulher (Rose Byrne) para que deixe o trabalho perigoso e a pressão do pai para que entre para a política, Avery também precisa lidar com a corrupção dentro do seu departamento policial, liderada por Deluca (Ray Liotta).

Por fim, tamos ainda o terceiro ato do filme, quando um jovem solitário (Dane DeHaan) começa a ter problemas quando conhece um mimado playboyzinho (Emory Cohen) na escola.

Bradley Cooper (Avery Cross) in THE PLACE BEYOND THE PINES

Apesar de cada ato ter o seu protagonista, todos eles compartilham mais ou menos os mesmos temas, como a relação entre pai e filho, as responsabilidades de um pai e o peso das ações de cada indivíduo. Esses temas ficam mais evidentes se colocarmos Avery e Luke em contraste.

No fim de tudo, ambos só querem prover para suas respectivas famílias, mesmo agindo de maneira oposta – Luke, o “malvadão cheio de tatuagens”, quebra a lei da sociedade seguindo uma linha de pensamento que ninguém pode realmente condenar, enquanto Avery, o bom-moço, começa uma guerra no seu departamento  por não conseguir quebrar a lei, mesmo sendo desaconselhado por todos.

As ações de ambos geram consequências, claro, mas elas próprias são consequências das ações dos pais deles – e as ações dos pais são, provavelmente, consequência das ações dos avós e por aí vai.

Com essa linha de raciocínio, Derek Cianfrance brinca um pouco com o quanto o nosso destino é realmente fruto das nossas escolhas e o quanto dele foge do nosso controle (seja por consequências vindas da família ou por lances de sorte ou azar), além de questionar o que realmente faz um bom pai: o dinheiro, a presença ou o exemplo?

Lugar Onde TUdo Termina Critica 03

Deixando um pouco a trama do filme pra lá e falando mais sobre os atores, O Lugar Onde Tudo Termina reúne algumas sólidas interpretações do seu elenco. Gosling volta a mostrar o porquê de ser um dos mais elogiados atores da sua geração ao dar simpatia e honra ao motociclista Luke Glanton, ao passo que Bradley Cooper entrega uma das mais seguras atuações da sua carreira. Dane DeHaan interpreta muito bem mais um jovem problemático, papel que ele já mostrou saber lidar em Poder Sem Limites, enquanto Eva Mendes e Ben Mendelsohn são dois coadjuvantes de luxo e que montam personagens que são um prazer ver em tela – é muito difícil não gostar e torcer pela jovem, batalhadora e sofrida Romina, ao mesmo tempo que não dá pra ficar surpreso com a naturalidade e presença de Robin.

Por fim, vale citar a competente direção de Cianfrance, que depois de Namorados Para Sempre, acaba despontando como um dos mais promissores diretores dramáticos de Hollywood. Cianfrance controla muito bem a narrativa do longa, constrói os personagens com os atores e compõe cenas e ângulos que, além de serem belos esteticamente, ainda são referenciados no próprio filme, auxiliando na hora de fazer valer o argumento do longa (as cenas em que ele filma os protagonistas andando de costas, por exemplo – ou as cenas aéreas com os personagens na estrada, sozinhos).

Resumindo, O Lugar Onde Tudo Termina é um drama que faz o espectador se relacionar e refletir com os personagens. Se você viu o trailer e espera por um suspense de ação nas telas, melhor não ir aos cinemas. Ou talvez seja melhor ir sim e sair de lá positivamente surpreso.


Comentários