Sofazão| 31 Minutos: O Filme- Crítica

Matheus Pessôa

  sexta-feira, 07 de setembro de 2012

Sofazão| 31 Minutos: O Filme- Crítica

Não somente para crianças, mas para adultos também. Principalmente aqueles que gostam de uma história mais descontraída e fora dos padrões como a contada nesse filme

31 Minutos, a série de TV, mostrava diariamente os bastidores e as gravações de um jornal famosíssimo no Chile. Lá, é exibido desde 2003 pela rede de televisão chilena e até hoje consegue entreter muitas crianças (e até mesmo adultos). O público infantil teve o prazer de poder acompanhar a série durante dois anos, de 2004 a 2006, mas que depois acabou tornando-se apenas uma memória para aqueles que tanto cantaram as boas e contagiantes músicas do programa.

31 Minutos: O Filme tem um propósito diferente desse, e foi produzido no Rio de Janeiro. Pode lembrar os Muppets em alguns aspectos, mas 31 Minutos se supera no quesito nostalgia e diversão. Mas também, com fantoches, o que poderia dar errado ? Muita coisa… Mas não foi o caso deste filme.

 Com apenas 88 minutos de duração, o filme é capaz de contar uma história completa e muito direta, aproveitando para fazer tiradas sarcásticas tanto política quanto socialmente, por isso, talvez, também seja um filme que possa entreter adultos.

 “31 Minutos – O Filme conta a história de Juanín Juan Harry, produtor do famoso noticiário de TV “31 Minutos”, apresentado por Tulio Triviño. Juanín é o último de sua espécie e que, por isso, é alvo dos desejos da ambiciosa Cachirula, dona de uma exótica coleção de animais em extinção; coleção que só segue incompleta por não contar com um exemplar dos raros juanins.” – Jornal do Brasil.

O enredo é basicamente esse: Juanín é raptado por uma colecionadora de animais e seus amigos do jornal 31 Minutos vão em seu encalço. Simples assim. Sem complicações que poderiam ter afetado a diversão das pessoas que estivessem assistindo o filme.

É importante destacar o ótimo humor que é mostrado no filme; além das piadas, as situações em que os membros do 31 Minutos se metem são muito divertidas e resolvidas de maneiras malucas e inesperadas (eu falo sério, você não consegue nem imaginar como eles escapam de algumas enrascadas).

A escolha para os dubladores também foi excelente- principalmente ao pegarem Guilherme Briggs para dublar o personagem mais maluco do filme- lembra um Manivela, de Robôs…- e também a escolha da dublagem de Túlio Triviño, personagem-chave na narrativa.

 O filme não tem a mesma essência do programa de TV, afinal, os personagens passam pelos mais variados e surpreendentes cenários (fora da Redação).

Com toda essa maluquice- num bom sentido-, todo esse bom humor, toda essa alegria que os fantoches transmitem para fora das telas, você pode achar o filme bom ou muito ruim, a segunda opção se você não gostar de muitas coisas alegres ao mesmo tempo.

Reviravoltas, piadas sobre os bastidores de um telejornal, algumas piadas políticas e a surpresa são os fatores bons do filme. No fim, 31 Minutos pode ser uma garantia de diversão, principalmente se você tiver uma criança ao seu lado ou se “sua alma de criança aflorar num dia ensolarado”. Esse pode ser o ponto de início para um possível fanatismo pelos fantoches chilenos que tanto fazem sucesso.

 


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários