Blog /// 8Bits 8Bits

8 Bits – Castlevania: Symphony of the Night! (PSone)

  Pedro Luiz   |    quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Um dos jogos mais aclamados da geração 32 bits e indispensável no currículo dos gamers, Castlevania: Symphony of the Night consegue mesclar inovação com diversão. Assista o gameplay, comente e relembre esse clássico!

Você não está vendo coisas, amigo gamer. Esse é o segundo vídeo do 8 Bits na semana! Na terça-feira passada jogamos um pouco de Sleeping Dogs, último grande lançamento. E hoje voltaremos aos 32 bits, com o grandioso Castlevania: Symphony of the Night!

Nome original: Akumajō Dracula X: Gekka no Yasōkyok

Consoles: Playstation,Sega Saturn. Com versões remasterizadas para: PSP, Xbox 360 (Live) e PS3 (PSN).

Lançado em 1997 pela Konami, o décimo terceiro game da franquia Castlevania se firmou como um dos melhores games da geração 32 bits, e um dos mais inovadores. A maioria de seus elementos seria explorada por quase todos os games da geração seguinte, e da atual geração.

Porque voltar a jogar o game? 

Mesmo apoiado nos gráficos e estrutura 2D, o game é um exemplo de inovação na jogabilidade. Um dos primeiros games a mixar elementos de RPG ao estilo plataforma e a usar o conceito de ‘’mapa aberto’’, dando ao jogador a chance de voltar e explorar todos os cenários do castelo.

A trilha sonora é um dos maiores diferenciais. O compositor Michiru Yamane é o responsável pela cultuada lista de músicas em Castlevania: Symphony of the Night. Para ouvi-la, basta clicar no ‘’play’’ do nosso gameplay nostálgico!

Assista o vídeo. Se gostar, se inscreva no nosso canal do Youtube, clique naquele ”dedão positivo” que chamam de ”joinha” e favorite o vídeo, isso ajuda o Supernovo a difundir seu império!

Não esqueça de deixar o seu comentário! Pode ser uma indicação de game antigo, uma declaração de amor ou até uma crítica. Nos vemos na próxima!

Sobre » 8Bits


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários