Veja o trailer de Anonymous, filme de Roland Emmerich

  Leandro de Barros  |    sábado, 06 de agosto de 2011

O novo filme de Roland Emmerich propõe uma possível resposta ao mistério de quem foi realmente o autor das obras de William Shakespeare

Roland Emmerich é uma espécie de Michael Bay II ou seria Michael Bay um Roland Emmerich II? Essa é uma questão que tem atormentado cineastas, cinéfilos e uma ou duas pessoas à quem fiz essa pergunta. Mas, não é sobre esse mistério do mundo do entretenimento e dar artes que vamos falar hoje.

O novo filme de Emmerich, Anonymous, ganhou um trailer hoje e apresenta uma possível resposta para a pergunta: quem escreveu as obras atribuídas à William Shakespeare? Se nós, seres do século XXI, vemos teorias conspiratórias sobre eventos filmados e vistos por milhões, como os Atentados de 11 de Setembro, imagine numa época onde a maioria das pessoas assinaria um documento com um cuspe? A autoria das obras de Shakespeare é um tema de debates longos e filmes de Emmerich.

Ambientado no antro político da Inglaterra Elizabetana, Anonymous especula sobre um tema que há séculos intriga acadêmicos e mentes brilhantes, desde Mark Twan e Charles Dickens a Henry James e Sigmund Freud, ou seja, quem foi o autor das peças creditadas para William Shakespeare? Especialistas debateram, livros foram escritos, e estudiosos dedicaram suas vidas para proteger ou derrubar teorias que cercam a autoria das mais renomadas obras da literatura inglesa. Anonymous apresenta uma possível resposta, focando em uma época onde misteriosas intrigas políticas, romances ilícitos na Corte Real, e planos dos nobres gananciosos para tomar o poder do trono foram expostos no mais improvável dos lugares: os palcos de Londres.

Anonymous, dirigido por Roland Emmerich e com Rhys Ifans, David Thewlis, Derek Jacobi e Vanessa Redgrave no elenco, estréia no dia 3 de fevereiro de 2012 nos cinemas brasileiros.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários