Sofazão| Matrix Revolutions

Matheus Pessôa

  sábado, 01 de dezembro de 2012

Sofazão| Matrix Revolutions

Começou no ouro, foi para a prata e chegou ao bronze. Este é Matrix Revolutions. Ao invés de ficar procurando, caçando fatos que causem controvérsias, só assista ao filme e perceba que é um grande filme de ação.

Olá, caro internauta! Pelo visto, você decidiu tomar a pílula vermelha e agora quer terminar o que começou há duas semanas atrás. Nessa semana, acontece a conclusão dessa trilogia espetacular que definitivamente revolucionou a tecnologia no cinema, atingindo aspectos visuais e até mesmo ideológicos.

Então, sente no seu sofá e aproveite este Sofazão de Jabá!

Depois de ter começado a história da saga do Escolhido em Matrix e ter desenvolvido –tanto a história quanto o personagem- em Reloaded, cabia aos irmãos Wachowsky terminar a história do mundo da matrix de uma maneira grandiosa, como todos os outros dois filmes que fazem parte da trilogia foram.

A Continuação

A história começa exatamente de onde tinha parado. Ao final de Reloaded, Neo conseguiu neutralizar as Sentinelas- que com certeza o matariam, assim como a Trinity e Morpheus- que invadiram a Nabucodonozor. O fato intrigante é que Neo fez isso fora da matrix, fora do emulador, longe da nave que possuía o aparelho capaz de conectar-lhe com o mundo digital. E, ao neutralizar essas Sentinelas, ele acaba desfalecendo no meio do corredor cheio de carcaças robóticas.

Então, ele acorda numa estação de trem. E, seguindo a explicação dos ‘programas’ que lá estavam, aquilo é o que há entre a matrix e o mundo real, uma espécie de fase de transição entre os dois mundos. Para todos os que avaliam o estado de Neo (do corpo dele, que foi levado para uma das naves), o fato de ele ter usado esse ‘poder’ era algo que condizia com o fato de ele ser considerado o Escolhido, aquele que daria um ponto final definitivo à guerra.

Os ‘seguidores de Neo’ então vão atrás da salvação dele. E isso acaba não sendo fácil, de jeito nenhum. O programa que controla o trem que separa os dois mundos é controlado pelo francês, que no segundo filme já tinha mostrado não ter o menor apreço pelos humanos. E aí eles partem para a briga…

A Repetição

Bom, como eu já tinha dito na última crítica sobre Reloaded, os irmãos Wachowsky não tinham muita coisa a acrescentar quanto à história em si de Matrix, a não ser terminar com a possível resposta para as perguntas: ‘Neo é o Escolhido mesmo?’, ‘Como vai ser a guerra?’ e muitas outras. O filme responde essas perguntas, mas é um pouco irritante o modo que eles fazem isso. Vou explicar o porquê disso: ao invés de, bom, partir para a porrada de uma vez só (como fez em Reloaded), por muitas vezes vemos em Revolutions vários diálogos literalmente inúteis, fúteis e que não complementam nada com a narrativa, a não ser nos minutos de duração do filme.

Tudo isso parece ser alguma forma de ‘fazer surgir’ uma nova fonte de filosofia, de interpretações, de alguma coisa que faça os fãs pensarem ainda mais. Mas eis a realidade: às vezes, os fãs não querem mais pensar. Eles poderiam ter só colocado o que deveria ter sido colocado, enchido o filme de ação e tudo seria melhor. Não que o filme não tenha ação, mas se pelo menos alguns diálogos fossem cortados, tudo seria melhor.

A Definição

Ao fim de tudo, Revolutions definitivamente termina a franquia, pelo menos essa história de Neo. Encerra de um modo bom, com alguns deslizes, alguns conceitos que não precisariam ser criados e que foram (como o pai e a mãe na plataforma) mas o que é melhor de tudo é que eles colocaram um FIM com F maiúsculo a tudo o que aconteceu. Pelo menos nesse ‘arco’ de história da matrix. Ouvi boatos de que um novo filme está sendo produzido, e isso pode muito bem acontecer, numa versão posterior ou anterior a Neo.

A destacar a grandiosíssima cena final da luta entre Neo e o Agente Smith, que (essa sim) teve diálogos que acrescentaram na riqueza da construção filosófica do filme e também porque é realmente uma cena espetacular, com mais de 5 minutos de duração, todos eles com a mais pura ação.

Desta vez, não comentarei as possíveis interpretações que você pode ter ao ver Matrix Revolutions. Ao invés de ficar procurando, caçando fatos que causem controvérsias, só assista ao filme e perceba que é um grande filme de ação.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários