Sofazão | 1408 – Crítica

  Pedro Luiz   |    sábado, 27 de agosto de 2011

Estreia no SuperNovo a coluna Sofazão, onde você curte vários artigos de materiais antigos (cinema, séries, jogos), e para começar, o Pedrão faz a crítica do filme 1408 com Samuel L. Jackson e John Cusack

Sofazão é a nova coluna do SuperNovo, aqui vamos fazer críticas de filmes que já foram lançados há algum tempo, séries que já terminaram, e quem sabe, até jogos antigos! E para abrir os trabalhos, o Pedrão vai escrever sobre alguns bons filmes mais antigos!

Filmes de terror psicológico estão conquistando seu espaço em hollywood dia após dia. Isso se deve a vontade dos espectadores em serem mentalmente estimulados durante algumas horas de projeção. O público desse tipo de filme, por mais que seja muito específico, só tem a aumentar. Aviso de Spoilers, abaixo dá foto podem conter alguns!

Virou rotina adaptar grandes livros, HQs de sucesso, peças de teatro e qualquer outro tipo de arte que possa gerar um bom roteiro. Quando mencionamos o  nome Stephen King isso fica ainda mais claro. De cabeça consigo lembrar de, no mínimo,  7 filmes adaptados de suas ótimas histórias de horror. Diretores da qualidade de Stanley Kubrick, Frank Darabont e Brian de Palma levaram ás telas  filmes como O Iluminado ( The Shining, 1980), O Nevoeiro ( The Mist, 2008) e Carrie, a estranha ( Carrie, 1976) , respectivamente. Obras realmente muito boas que marcaram a carreira desses diretores de forma muito positiva.

É com a mesma qualidade que Mikael Hafstrom adaptou o conto 1408 as telonas em 2007. A trama acompanha a vida de Mike Enslin ( John Cusack em uma ótima atuação), um escritor que deixou de lado os romances para escrever sobre lugares com poderes sobrenaturais. Isso fica claro na primeira cena de filme, onde Mike vai a uma pousada que os donos, pensando na publicidade, relatam que um dos quartos do sotão está carregado de espíritos de pessoas mortas ali. Mike não parece temer absolutamente nada, então descobre que de fato não há nada de mais no tal quarto. Com seu gravador em mãos, Mike roda lugares malucos na procura de boas histórias ( lê-se assustadoras ) para seus livros, até que, num dia normal, uma pessoa desconhecida liga de Nova Iorque. Um homem relata que na maior metrópole do país há um hotel chamado Dolphin, e que nesse hotel há um quarto. O quarto 1408. Isso bastou para que Mike saísse em busca da paranormalidade.

Entra em cena o ótimo gerente do hotel Dolphin, Gerald Olin (Samuel L. Jackson em uma rápida e boa aparição), que ao saber do interesse de Mike em se hospedar por uma noite no ”quarto maldito” tenta de todas as formas fazê-lo desistir. Missão mais que impossível, já que mesmo com todas as evidências mostradas de hóspedes passados, Mike não teme absolutamente nada. Concordando em ceder a chave do 1408 para Mike, Gerald o leva para o andar do quarto. E é aí que o filme começa.

Os conflitos que Mike presencia no quarto desde o primeiro momento são anguistiantes. É pouco crível dizer que tudo era fruto de sua imaginação, já que todas as suas ações no quaro levam a coisas piores, e piores. Cordas descendo do teto, ausência de quartos ao lado, um termostato quebrado e mais um monte de coisas tornam 1408 um filme completamente anguistiante e claustrofóbico. Seu desenvolvimento está longe de ser monótono e o seu único objetivo, espectador, é o de saber qual vai ser o final de Mike. Não se sabe qual é a verdadeira face do quarto. Não se sabe, por exemplo, se tudo aquilo é fantasioso ou se está de fato acontecendo. E o mais curioso é que o conto original de Stephen King tem no máximo 40 páginas. Os roteiristas Matt Greenberg, Larry Karaszewski e Scott Alexander tinham nas mãos um desafio enorme. E se saíram brilhantemente bem.

O final desse filme é algo único. Posso dizer que, assim  como O Iluminado, e O Nevoeiro, o final é corajoso e deixa várias perguntas sem resposta. O gravador de Mike o acompanha desde o primeiro momento, e é crucial para o desfecho, mostrando mais uma vez que  a mente humana pode fazer e criar coisas extraordinárias. Fica a seu critério acreditar na aventura de Mike ou não. Aliás, o conflito que irá se formar em sua cabeça ao final do filme é bem semelhante. O filme leva a uma nota 9.

1408 é um thriller de horror de 2007, estrelado por John Cusack (2012), Samuel L. Jackson (Os Vingadores) e Mary MacCormack (ER: Serviço de Urgência), a direção fica por conta do sueco Mikael Håfström (O Ritual). Veja um trailer do longa:

[pro-player type=’video’]http://www.youtube.com/watch?v=lgLm4_fq6GY


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários