Robert Rodriguez e Frank Miller anunciam Sin City: A Dame to Kill For

  Leandro de Barros  |    sexta-feira, 13 de abril de 2012

Novo filme é anunciado oficialmente por Robert Rodriguez e Frank Miller e deve se basear na minissérie Uma Dama Fatal

A Dimension Films anunciou ontem à noite que a tão comentada sequência sequência de Sin City, de 2005, dirigido por Frank Miller e Robert Rodriguez. E é a mesma dupla que fica responsável por Sin City: A Dame to Kill For, ainda sem data de lançamento marcada.

A questão que sempre me perguntam é ‘Quando você fará um outro Sin City?’. Eu já tinha vontade de trabalhar novamente com Frank Miller e voltar para o mundo que ele criou desde o dia que finalizamos o primeiro filme, mas a gente sentia a obrigação com os fãs de esperar até a gente ter algo verdadeiramente excepcional para atender e superar expectativas que se tornaram épicas. A Dame to Kill For certamente valerá a pena“, disse Robert Rodriguez.

Frank Miller, criador de Sin City e roteirista e co-diretor do primeiro filme, também comentou o novo filme: “O primeiro Sin City nocauteou aqueles que nunca tinham visto nada assim antes. Robert Rodriguez e eu vamos sacudir as coisas e entregar uma experiência cinematográfica feroz que vai ainda mais além do que o primeiro“.

A Dame to Kill For, lançada no Brasil sob o nome de Uma Dama Fatal, é na verdade uma prequência de Sin City. Na graphic novel, o fotógrafo Dwight McCarty (vivido por Clive Owen no primeiro filme) tenta resgatar sua ex-noiva, Ava Lord. Ao seu lado, Dwight conta com a ajuda de Marv (Mickey Rourke).

O roteiro do filme, escrito por Miller e William Monahan (Os Infiltrados), e seus detalhes ainda estão sendo mantidos em segredo. A Dimension anunciou que o elenco do filme começa a ser definido na próxima semana e a maior parte do elenco original da franquia deve estar no novo filme.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários