Robert Downey Jr. produz e estrela curtas que homenageiam o Cinema

Leandro de Barros

  quarta-feira, 18 de março de 2015

Robert Downey Jr. produz e estrela curtas que homenageiam o Cinema

Ator faz campanha publicitária criativa para promover celular

As pessoas tem o hábito de ver propaganda como algo ruim, algo que nos “engana” para comprar alguma coisa. É verdade que existem esses exemplos, mas às vezes pessoas criativas conseguem resultados muito interessantes.

O ator Robert Downey Jr., que você deve conhecer de Os Vingadores, Sherlock ou Chaplin, fez uma parceria com a HTC para promover o novo celular da empresa, o HTC One M9. Com liberdade criativa total, o ator se uniu ao diretor Russell Scott e o ator Brian Schaeffer e produziu dez curtas que homenageiam a história do Cinema, ao mesmo tempo que promovem a marca do celular sem soar invasivo ao expectador.

Os dez curtas contam uma mini-história onde Downey Jr. é trancado num quarto acompanhado de Schaeffer. Com cores temáticas, cada curta faz uma referência a grandes filmes clássicos, além de brincar com gêneros como comédia, noir, terror…

Veja abaixo:

No primeiro curta, a referência é a The Prisoner, de 1967.

Em Yellow, o tema é comédia e o referenciado é o falso-documentário Rain of Madness, do filme Trovão Tropical (que tem Downey Jr. no elenco, aliás).

Harvey, de 1950, é a referencia de Orange. No clássico, o protagonista é o único que pode ver um coelho que o acompanha pelo filme.

A referência em Red é de Kiss Me Hardly (1955).

Mais engraçado, a referência de Green é a mais antiga e de um dos filmes mais reconhecíveis do cinema: Viagem à Lua (1902), de Georges Méliès.

Continuando a história do anterior, Downey Jr. escapa da vingança do tritão ao tocar piano, referenciando Shine, de 1996.

A referência em Purple não vem do cinema (como, aliás, no primeiro curta), mas sim de um dos artistas mais importantes da cultura pop: Andy Warhol e ao seu trabalho em Baseball, de 1962, onde ele retrata o jogador Roger Maris acertando um home run – só que Downey Jr. acerta um peru, que depois vira um quadro no estilo pop art de Warhol.

Em Grey, com o tema “ilustre sua história”, a referência fica ao pai de Robert Downey Jr., que é um cineasta bem conhecido.

As coisas vão lentamente escurecendo e em Black, Downey Jr. vira para David Lynch no filme Eraserhead, de 1977, ao abordar o nonsense minimalista.

Fechando o ciclo, o curta volta ao branco em White II, referenciando Tempos Modernos, de Charles Chaplin.

via EW


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários