Christopher Nolan volta a falar sobre Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Como sempre, spoilers abaixo.

Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge está na crista da onda no momento e não é por menos, já que o filme é um dos mais aguardados de 2012. Sexta-feira estréia em alguns cinemas americanos o prólogo do filme (que já foi visto por algumas pessoas e teve o áudio vazado) e um novo cartaz do longa foi divulgado recentemente.

O diretor Christopher Nolan voltou a falar sobre o longa, dessa vez em entrevista ao Hero Complex. Entre os temas comentados pelo diretor, estão a imensa base de fãs do Batman, o pulo de 8 anos entre o filme anterior e o novo, o vilão Bane e, claro, o prólogo do longa.

Nolan comentou que “é fantástico ter pessoas tão interessadas assim em alguma coisa“. Segundo o diretor, os fãs “querem que [os filmes] sejam ótimos, eles querem curtir e querem ser fascinados [pelos filmes]. Claro que sempre há controvérsia a respeito de coisas que as pessoas vão discordar mas eu espero que eles apreciem o esforço de tentar criar algum bom“.

O cineasta comentou a diferença entre Bane e o Coringa, vilão do filme anterior: “Com Bane, o negócio é físico. Você precisa de um arquétipo para um bom vilão, sabe. Você precisa de extremo de algum tipo de vilania. O Coringa é obviamente um tipo particular de um arquétipo de anarquia caótica e diabólica e tem um senso de humor diabólico. Bane, para mim, é algo que nós não lidamos nos filmes. Nós queremos alguma coisa muito diferente nesse filme. Ele é um vilão primariamente físico, ele é um clássico monstro cinematográfico – mas com um intelecto fantástico. Eu acho que ele é um personagem fascinante. Acho que as pessoas vão gostar do que nós fizemos com ele“.

Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge se passa 8 anos após o filme anterior, Batman – O Cavaleiro das Trevas. Nolan garantiu que esse intervalo entre os filmes vai fazer muito sentido para as pessoas quando verem o filme e que existe para mostrar as mudanças em Gotham após o trabalho do Batman e do Comissário Gordon. “Não é um grande mistério – é o ponto de partida do filme – mas é difícil pra mim falar sobre. Acho que o clima do começo do filme vai fazer muito sentido. Se eu tivesse de expressá-lo tematicamente, acho que para o Batman e o Comissário Gordon passaram por um grande sacrifício, um grande compromisso no fim de O Cavaleiro das Trevas e para que isso signifique alguma coisa, esse sacrifício tem de dar em alguma coisa e Gotham tem de melhorar em algum sentido. Eles precisam alcançar algo para que o fim daquele filme – e o sentimento no fim do filme – ter validade. O sacrifício deles precisa ter um significado e leva tempo para estabelecer e mostrar esse significado, e é por isso que nós fizemos [o pulo de 8 anos]. Não é um intervalo de tempo longo o suficiente para que fosse preciso usar alguma maquiagem ou coisa assim – o que eu acho que seria distrativo – mas dá aos atores algo para trabalhar, particularmente Christian [Bale] ao interpretar esse cara que parou naquele momento do tempo sem ter pra onde ir. Ele realmente fez um ótimo trabalho descobrindo como caracterizer e expressar essa mudança“.

Sobre as filmagens do prólogo, Nolan disse estar empolgado com o resultado. “Nós filmamos na Escócia. Nós escaramos o tempo – chove o tempo todo lá, é um péssimo lugar pra fazer uma sequência aérea, e é por isso que ninguém fez nada parecido antes. Normalmente esse tipo de cena é gravado no deserto ou coisa parecida, por razões bem práticas. Mas deu certo. Demos sorte com o clima e muito planejamento deu conta do recado. Acho que [o prólogo] tem uma aparência bem única“.

The Dark Knight Rises, chamado de O Cavaleiro das Trevas Ressurge no Brasil, estréia dia 20 de julho de 2012 com Christian Bale (Bruce Wayne / Batman), Morgan Freeman (Lucius Fox), Michael Caine (Alfred), Gary Oldman (Comissário Gordon), Tom Hardy (Bane), Anne Hathaway (Selina Kyle / Mulher-Gato), Marion Cotillard (Miranda Tate), Joseph Gordon-Levitt (John Blake) e Juno Temple (Holly Robinson) no elenco. Direção de Christopher Nolan.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...