O rápido sucesso da nova estrela de Hollywood, Anya Taylor-Joy

Anya nasceu em Miami. Seu pai nasceu na Argentina, de descendência Inglesa e Escocesa, e sua mãe nasceu em Zâmbia, África. Anya morou toda sua infância entre Argentina e Inglaterra.

Seu pai foi um banqueiro internacional, porém deixou tudo para as carreiras de lanchas, e sua mãe é psicóloga. Anya foi criada na Argentina até a idade de seis anos,depois foram para Londres, onde a família mora em Vitória. Ela atendeu uma escola de Hill House em Keningston, antes de ser parte da Northlands School na Argentina, e Queens Gate School em Londres, também é uma bailarina de ballet formada. 

O sonho de Anya de ser atriz vem na sua vida desde muito cedo, e foi possível já que lhe ofereceram uma carreira de modelo. Taylor-Joy deu um salto inesperado do ballet clássico à modelagem e daí a atuação. Ela foi descoberta numa loja em Londres por uma agente de modelos. Sarah Doukas, a mesma que começou a carreira de Kate Moss e Cara Delevingne, firmou Anya com Storm Management, mas com somente três editoriais feitos para algumas revistas, ela fez sua transição para a atuação.

Sua primeira experiência em atuação foi em 2014 com a comédia de “Horror Vampire Academy” (2014), mas sua cena foi eliminada do corte final. Mais tarde esse ano apareceu na série “Endeavour” (2012) e mais tarde participou na série “Atlantis” (2013). Ganhou verdadeiro reconhecimento em cinema com seu papel de Thomasin no filme de horror “The Witch” (2015), por essa interpretação ganhou Saturn Awards por Melhor atuação por atriz jovem.Um filme que aterrorizou as salas de cinema em 2015, e também foram boas as críticas no rol da namorada de Barack Obama durante a adolescência em “Barry”, o filme da Netflix.

Desde que se tornou conhecida, o trabalho desta estrela não para de crescer. Cada vez com tramas e histórias mais cobiçadas.

Anya Taylor-Joy protagonizou o filme “Emma”, baseado na famosa novela de Jane Austen. E tem comovido as redes sociais com sua aparição em “The Queens Gambit”, a série da netflix que conta a história de uma jogadora de xadrez prodigiosa.

O xadrez é o leitmotiv desta história, o detonante para Beth (a personagem principal) e o que faz que sua vida se transforme para sempre. Trata-se de uma história de adição, amor, crescimento e sucesso. Originalmente era um livro, porém a sua incrível adaptação a minissérie, a impressionante direção de arte e, claro, as atuações e o cast, fazem de uma história de uma menina órfã, um dos maiores sucessos da Netflix dos últimos tempos. Não somente aumentou a fama desta plataforma, porém também adicionou jogadores de xadrez. 

As vendas dos sets de xadrez aumentaram em 87% nos Estados Unidos, com um 603% por cento de acordo à NPD, com dados de semana a semana. As pesquisas no Google para aprender a jogar alcançaram um cume não visto em nove anos, ao tempo que os jogadores de chess online incrementaram por cinco. 

Não é a primeira produção que impulsiona os espectadores a aventurar-se no mundo do jogo. Após ter assistido a filmes de cassinos e apostas, tem sido bastante normal no mundo do cinema que muitos espectadores elegeram casas das apostas para provar suas habilidades e jogar.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...