O Quinto Poder tem muitas mentiras, é o que diz a WikiLeaks

Eder Augusto de Barros
edaummm

  segunda-feira, 23 de setembro de 2013

O Quinto Poder tem muitas mentiras, é o que diz a WikiLeaks

WikiLeaks vaza o roteiro e um memorando onde critica fortemente o longa por conter muitas mentiras.

A WikiLeaks vazou o roteiro do longa O Quinto Poder, que conta justamente a história de Julian Assange, o principal porta-voz do site de denúncias e vazamento de informações.

the-fifth-estate-uk-poster-2

O vazamento do roteiro seria normal ou até uma bela jogada de marketing se não viesse acompanhando de um memorando que classifica o filme como irresponsável, contraproducente e danoso. Segundo a wiki, a maioria dos eventos do longa não aconteceram ou as pessoas mostradas no filme não estavam envolvidas.

O memorando ainda cita trechos de uma entrevista do ator Benedict Cumberbatch, que vive Julian Assange, e afirma que o diretor do longa, Bill Condon, queria que ele vivesse um personagem completamente megalomaníaco e anti-social, quase um vilão de desenhos animados.

O memorando ainda cita que o fato do longa ter todas essas mentiras, deve-se ao fato da obra se basear em dois livros de pessoas que tem desavenças e até problemas legais com o site, e o outro lado da moeda não foi ouvido para a construção dos fatos.

O longa é baseado em dois livros que falam sobre a criação da WikiLeaks: Inside WikiLeaks: My Time With Julian Assange at the World’s Most Dangerous Website, do próprio Domscheit-Berg, e WikiLeakes Inside Julian Assange’s War On Secrecy, de David Leigh e Luke Harding.

A direção do filme é de Bill Condon (A Saga Crepúsculo: Amanhecer) e o elenco ainda conta com Laura Linney (The Big C), Dan Stevens (Downton Abbey), Alicia Vikander (Anna Karenina), Carice Van Houten (Game of Thrones), Anthony Mackie (Caça aos Gângsteres) e David Thewlis (Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban).


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários