Mickey Rourke fala dos problemas de Homem de Ferro 2 e dispara contra a Marvel

Eu acho que é uma unanimidade que Homem de Ferro 2 não foi um filme para se recordar por anos, certo? Por mais que eu não goste do hype inexplicável que o personagem tomou, eu tenho de admitir que o primeiro filme, de 2008, foi bem incrível.

Aí, em 2010,  saiu a continuação, que tinha tudo pra ser melhor. A equipe já tinha a experiência de ter feito um, a história pegava de leve em elementos da melhor história do Enferrujado nos quadrinhos e tinha o Mickey Rourke no elenco. Mas o filme foi fraco.

De lá pra cá, muito se conversou a respeito. Muito mimimi e blablabla saiu e a maioria vinha de “fontes anônimas”. Muita gente culpava a “preparação de terreno para os Vingadores” pelo filme ruim (ok, não ruim, mas “não-tão-bom”. Melhor assim?). Muita gente disse que a Marvel forçou muitas coisas no filme, gerando um mal clima entre os profissionais que trabalharam no longa.

Agora nós temos alguém que estava lá dentro e que desde que saiu, vem disparando contra a Marvel incessantemente: Mickey Rourke, o vilão Ivan Vanko.

Em entrevista ao Crave Online sobre seu novo filme, Imortais, o ator soltou o verbo contra o estúdio da Marvel:

“Bem, eu sempre tento fazer com que o espectador simpatize com o personagem [quando interpreta o vilão]. É como quando eu fiz o Ivan Vanko em Homem de Ferro, eu lutei… Você sabe, eu expliquei pro Justin Theroux, o escritor, e pro [Jon] Favreau que eu queria trazer algumas outras camadas e cores ao personagem, não só fazer desse russo um vilão completamente assassino e vingativo. E eles me permitiram fazer isso. Infelizmente, a Marvel só queria um vilão unidimensional, então a maior parte da interpretação foi jogada fora.

Bem, você sabe, isso é ruim pra c*ralho, mas eles que perdem. Se eles querem fazer filmes de histórias em quadrinhos sem sentido, então eu não quero fazer parte disso. Eu não quero me importar tanto e trabalhar tanto e então lutar por um raciocínio inteligente no filme, e só porque eles estão dando as cartas eles… Sabe, eu não trabalhei por três meses no sotaque e em todos os ajustes e fui para a Russia só para acabar jogado pra escanteio. Porque isso pode acabar fazendo com que alguém diga no fim do dia, ‘Ah, eles que se f*dam, eu vou empurrar com a barriga’. Mas eu não sou esse tipo de cara, eu nunca faria de qualquer jeito.”

O ator ainda continuou soltando o verbo:

“Eu estou dizendo que é frustante quando acontece, quando você se importa tanto e trabalha tanto. No fim de tudo, aparece um nerd qualquer cheio de dinheiro e dando as cartas em tudo. Sabe, Favreau não mandou em nada. Eu queria que ele tivesse comandado tudo. E Theroux, nós trabalhamos juntos para trazer camadas ao personagem então, sabe, eu luto por isso toda vez que eu interpreto um vilão”

É, algumas críticas bem pesadas. Vale relembrar que Favreau saiu da direção do próximo filme do Homem de Ferro, sendo substituido por Shane Black.

Enquanto isso, Rourke continua promovendo Imortais, que estréia no simbólico dia 11/11/11.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...