Meu Namorado é um Zumbi – Crítica

Eder Augusto de Barros
edaummm

  quinta-feira, 07 de fevereiro de 2013

Meu Namorado é um Zumbi – Crítica

Meu Namorado é um Zumbi chega esta sexta-feira (08) aos cinemas nacionais com Teresa Palmer, Nicholas Hoult e John Malkovich no elenco e direção de Jonathan Lavine (50%).

Julie e R

Meu Namorado é um Zumbi é dirigido pelo jovem Jonathan Lavine (50%) e protagonizado por Teresa Palmer, Nicholas Hoult e John Malkovich. O longa é baseado no livro Warm Bodies de Isaac Marion.

Em um cenário pós-apocalíptico,  o zumbi R (Nicholas Hoult) passa por uma crise existencial e criando laços de amizade com uma humana chamada Julie (Teresa Palmer), uma de suas vítimas por quem acaba se interessando amorosamente. O problema é que este relacionamento acaba causando uma reação em cadeia em outros mortos-vivos, mas o general Grigio (John Malkovich) não está interessado neste tipo de mudança e sim no total extermínio da ameaça zumbi.

O filme já começa errado no seu nome. Warm Bodies é traduzido para um cômico Meu Namorado é um Zumbi, é narrado em primeira pessoa por um zumbi e categorizado como comédia, horror e romance o filme fica no meio do caminho em todos os sentidos. Parece que não se resolveu em que pegada ir, não consegue fazer rir, não consegue provocar o nojo e o romance é insosso. Não gargalhei nenhuma vez, ri poucas, e dei alguns sorrisos amarelos. E olha que eu consigo achar graça nas piadas do Leco (fortes entenderão).

Enquadramento genial!

Enquadramento genial!

O filme tem a tal mensagem de que nossa sociedade está se tornando um bando de zumbis, que estamos nos degradando, sem capacidade de expor nossas vontades, nossos pensamentos e opiniões, sem sequer conseguir reagir ao sistema, sistema este que nos é imposto por algo mais forte que não conseguimos explicar. E ainda deixa claro já no trailer que o amor é a única coisa que nos deixa vivos, que nos faz ter vontade de viver, que nos faz mudar como em certo momento do filme a personagem de Teresa Palmer diz.Dá aquele alerta que tanto gostamos de encontrar, isso é legal. É uma clara homenagem a Romeu e Julieta, tão clara que o zumbi não lembra do nome, mas começa com R, e a garota se chama Julie. Até a clássica cena da sacada está reproduzida no longa.

Esteticamente não é ruim, até o roteiro não é ruim. Infelizmente não consigo fazer comparações ao livro, mas a impressão que eu fiquei é que os envolvidos ficaram em dúvida do concreto tom que deveriam dar ao filme. Se seria um drama ou uma comédia. Essa oscilação constante não funcionou na perfeição, talvez por não ter sido intencional. O longa tem algumas referências interessantes às pequenas coisas da vida como o frio que o zumbi R sente a primeira vez, ou a sua coleção de discos de vinil por “curtir” um som mais vivo.

nicholas-hoult-warm-bodies

A atuação do elenco é normal, nada que mereça grandes destaques. Visualmente também o filme não erra, o Bonies (Zumbis que já não têm carne, são basicamente só esqueletos e músculos, uma evolução) estão bem feitos já que são totalmente CGI. A trilha sonora é bem interessante merece algum destaque, principalmente a inserção de músicas conhecidas quando R coloca seus discos de vinil e ouvimos Bob Dylan ou Guns n’ Roses.

É um filme razoável, mais uma das adaptações literárias que devem encher os cinemas em 2013. Não é falho mas não me convenceu, é mediano. E que fique claro a comparação com Crepúsculo é completamente descartável, não tem relação para tal.

Meu Namorado é um Zumbi chega esta sexta-feira (08) aos cinemas nacionais com Teresa PalmerNicholas Hoult e John Malkovich no elenco e direção de Jonathan Lavine (50%).


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários