Homem de Ferro 2 – Crítica

  Leandro de Barros  |    quinta-feira, 12 de abril de 2012

Marvel pisa na bola e Homem de Ferro 2 é o seu pior filme até aqui

De repente, o Homem de Ferro, totalmente ignorado pelo grande público, se tornava o herói mais popular da Marvel, graças ao ótimo filme de 2008. Nesse ritmo, a sequência era inevitável e veio para ajudar a moldar o caminho para Os Vingadores.

Apesar do filme de 2008 ter sido ótimo, eu acho que falo por muita gente quando digo que Homem de Ferro 2 é o pior filme da Marvel Studios, de longe.

Agora, por favor fãs do Homem de Ferro, guardem as tochas e os tomates. Joguem em mim depois, ok? Vou explicar porque eu acho o Homem de Ferro 2 o pior filme da Marvel.

Primeiro de tudo é preciso deixar claro que os filmes da Marvel Studios (Homem de Ferro 1 e 2, O Incrível Hulk, Capitão América – O Primeiro Vingador e Thor) são de um nível muito bom no quesito “Filme Pipoca”. Ser o pior deles não quer dizer que o filme é um lixo, mas quer dizer que não é tão bom quanto os outros.

Eu esperava que Homem de Ferro 2 fosse, pelo menos, tão bom quanto o primeiro filme de Robert Downey Jr. no papel de Tony Stark. Pra começar, o primeiro filme tinha feito um bom sucesso, lucrado muito, o orçamento seria melhor. Além disso, o filme adaptaria, bem de leve, a saga mais famosa do herói nos quadrinhos, O Demônio Na Garrafa. Receita certa para o sucesso. Mas não foi assim que aconteceu.

O filme peca em vários fatores. Pra começar, o mais importante: sua trama. Afinal, qual é a trama que move o filme? O ataque do Whiplash (Mickey Rourke)? As ações do Hammer? A perseguição do governo ao Homem de Ferro? A falta de controle do herói? São todas ótimas idéias, mas nenhuma delas chega a puxar o filme. Ao final dos 124 minutos de projeção, a gente sai do cinema achando que o filme apresentou ótimas idéias para plots, mas nunca mostrou porque cada uma dessas idéias poderia dar tão certo.

O Homem de Ferro é um herói que tem tudo, mas ainda assim falta alguma coisa pra ele. Ele é um cara que funciona quando está focado em algo, o que o torna tão susceptível ao álcool, por exemplo. No filme, o Tony Stark bebe MUITO, principalmente nos primeiros minutos. Mas a idéia fica aí, do meio do filme pra frente, a idéia do vício dele ou essa sua fraqueza é esquecida.

O Whiplash oferece perigo por alguns minutos e depois só faz caras e bocas perto do Hammer. Aliás, o Hammer representou sim um bom personagem, mas não um bom vilão. A própria concepção do personagem não permite que ele seja o principal inimigo do Homem de Ferro em um filme, já que ele não é competente por isso. É justamente por esse motivo que ele precisa do Whiplash, mas esse acaba falhando como vilão do filme. O ator Mickey Rourke disse que muito do trabalho que ele fez ao lado do roteirista do filme acabou sendo apagado na sala de edição do filme, durante a montagem final do longa. Talvez tenha sido aí que o filme começou a ficar ruim.

Tenho de admitir que a inclusão do núcleo da S.H.I.E.L.D. provavelmente não ajudou na costura da trama do filme. Afinal, são mais personagens sendo inclusos e que não ajudaram a apresentar um objetivo do filme. É justamente isso que falta à Homem de Ferro 2: qual o seu objetivo? O primeiro filme era pra apresentar o personagem e o segundo? Seja qual for o objetivo, ele não foi bem executado.

No campo das atuações, temos um pouco de mais do mesmo do filme anterior. Robert Downey Jr. e Samuel L. Jackson mantém a canastrice ideal para dar vida à Tony Stark e Nick Fury. Gwyneth Paltrow é uma boa Pepper Potts enquanto Don Cheadle substitui Terrence Howard à altura. Scarlett Johansson é uma boa Viúva Negra, mesmo com pouco tempo pra explicar que ela na verdade é um espiã e não dá pra saber direito o que ela está pensando.

Homem de Ferro 2 é a primeira e, até o momento, única mancha no currículo de filmes da Marvel Studios. A esperança é que os erros cometidos nesse filme não se repitam nos próximos.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários