Diretor fala sobre filme de Bioshock e reboot de Highlander

Em entrevista ao Ain’t It Cool News, o diretor Juan Carlos Fresnadillo (Intruders) falou um pouco sobre dois dos muitos projetos em que ele está ligado: a adaptação cinematográfica de Bioshock e o reboot de Highlander.

Sobre a adaptação do game da Irrational Games, a última notícia disponível dizia que o roteiro do filme seria escrito por John Logar (Gladiador, O Último Samurai, A Invenção de Hugo Cabret). A complicação para a realização do longa é que a Take-Two (antiga 2k Boston), distribuidora de Bioshock, acredita que o longa precisa classificação para maiores de 18 anos para que se possa fazer justiça ao game. Como o projeto é caro, a Universal (o estúdio responsável pela adaptação) não quer gastar tanto dinheiro num filme que vai tirar o mercado adolescente dos cinemas.

Sabe, tem um problema com o game… bem, não é um problema. O que acontece é: Bioshock é super complicado e é um filme com um orçamento muito alto. Obviamente, o estúdio não quer gastar muito dinheiro num filme com classificação para maiores de 18. E tem que ser assim. Então, esse é o problema que o game e o estúdio estão tentando chegar a um acordo“, disse o diretor.

Quando perguntado se continuaria no projeto caso o acordo entre o estúdio e a distribuidora acontecesse, Fresnadillo foi evasivo: “Eu não sei, pra ser honesto. Foi uma experiência muito interessante trabalhar com Gore Verbinski desenvolvendo a história um pouco e igualar o tom do game. Eu aprendi muito sobre Hollywood e esse tipo de projeto, mas eu não sei… levando em conta que o orçamento foi um dos problemas que eu recomendaria para combinar realismo com um bom CGI.. A coisa mais importante é fazer com que pareça real e eu acho que dá pra fazer com uma boa direção de fotografia e um conceito de câmera muito real. Você tem de criar uma personalidade e o personagem certo pra fazer funcionar. Mas, você sabe, é um projeto que está parado por enquanto, então eu não estou dando muito atenção à ele. No momento eu estou muito interessado em outro projeto, que pode ser meu próximo filme“.

O outro projeto que ele diz é o reboot de Highlander. Fresnadillo falou o que o atrai no reboot do clássico oitentista e quais os seus planos pro filme:

Eu acho que é um reboot muito interessante porque eu considero o conceito muito sólido e épico, que é uma coisa que eu realmente amo, então vamos ver se a gente continua trabalhando nisso. Eu acho que pode ser meu próximo filme. Eu penso que o segredo é seguir o personagem. Eu amaria, se a gente fizer o filme, sentir a imortalidade. Imortalidade é uma maldição e eu adoraria sentir isso. Você está vencendo o tempo, mas você vê, ao mesmo tempo, as mais belas coisas, as pessoas que você ama, morrerem e você continua a viver, como em uma tragédia. Você não pode amar ninguém, porque você vai perder essa pessoa.

Eu adoraria introduzir esse gosto no filme, de uma maneira bem forte, e ao mesmo tempo essa conexão com o Universo. ‘Por que eu sou imortal? Por que eu sou o escolhido?’

Nesse sentido, o filme é um épico. Eu acho que é algum tipo de aventura romântica sobre uma pessoa tentando compartilhar sua imortalidade com alguém. Eu não quero revelar mais do que isso, mas existe uma nova revelação no filme que se conecta com isso de uma maneira bem profunda. Se o filme sair, eu espero que vocês gostem“.

Ainda não há previsão, ou confirmação, para o começo da produção dos dois longas.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...