David Goyer explica a controvérsia do fim de O Homem de Aço

Spoilers sobre o fim de O Homem de Aço abaixo.

man of steel banner

O Homem de Aço, novo filme do Superman, era um dos longas mais aguardados de 2013. Muita gente estava pirando com os trailers do filme e não via a hora do Último Filho de Krypton chegar aos cinemas.

Porém, quando o longa finalmente estreou, uma polêmica se instaurou: como assim o Superman (Henry Cavill) matou o Zod (Michael Shannon)?

Muito já foi dito sobre esse assunto (nós falamos sobre no BananaCast #61!) e finalmente chegou a hora de David Goyer, roteirista do longa, explicar a decisão de colocar o Superman quebrando o pescoço do seu inimigo.

Leia:

[quote]A gente já sabia que seria algo controverso, não era como se a gente estivesse nos iludindo e nós não fizemos apenas para parecer ‘mais legais’. Nós sentimos, nesse caso do Zod, que queríamos colocar o personagem em uma situação impossível e fazer uma escolha impossível. Essa é uma área, e eu também já escrevi revistas em quadrinhos, e é onde eu discordo dos meus colegas roteiristas de quadrinhos: ‘O Superman não mata’. Essa regra existe fora da narrativa e eu não acredito em regras assim. Eu acredito que quando você está escrevendo para o cinema ou televisão, você não pode se apoiar numa muleta ou numa regra que existe fora da narrativa do filme. Então, a situação tinha o Zod dizendo que não ia parar enquanto ele não matasse o Superman ou o Superman matasse ele. A verdade é que não existe prisão no planeta que possa segurá-lo e, no nosso filme, o Superman não pode voar para a lua e a gente não queria surgir com essa mulete. Além disso, nosso filme era tipo um Superman Begins, então ele não é o Superman realmente até o fim do filme. Nós queríamos que ele tivesse essa experiência de tirar uma vida e carregar isso pelos próximos filmes. Porque ele é o Superman e porque as pessoas o idolatram, ele terá de se segurar e se colocar num nível acima[/quote]

[vejamais]

+ sobre O Homem de Aço:

[/vejamais]

Mesmo tendo um pé atrás com David Goyer como roteirista, eu não posso deixar de dizer que concordo com ele nesse ponto. Dizer que a regra do Superman não matar é algo que existe fora da narrativa daquele filme pode até soar como uma desculpa fajuta (algo como “nós nunca estabelecemos que o Superman não mata!”), mas a verdade é que O Homem de Aço acabou indo um passo à frente em filmes de super-heróis e colocou o protagonista num ponto no final onde não há vitória: ele foi forçado a fazer uma decisão sem resposta correta e terá de viver com isso para sempre – ao invés de uma desculpa esfarrapada de último minuto surgir para tirar a responsabilidade dessa decisão dos ombros do personagem.

E você, jovem leitor? ‘Tá chateado com o Superman matando o Zod (sem saber que ele já fez isso nos quadrinhos e nos filmes do Donner) ou já aceitou a decisão?

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...