Contágio – Crítica

Nada se espalha como o medo, realmente! E se você estava com medo de um filme com tanta gente boa ser ruim, não sei de onde tu tirou essa idéia amigo, não sei mesmo, antecipo já, que o filme é do carvalho, sem mais!

Contágio é um filme do grande Steven Soderbergh, você não sabe quem é o Sodebergh? É o diretor de toda a trilogia Ocean’s (Onze Homens e Um Segredo e sequências) e ganhou o Oscar de Melhor Director por Traffic em 2000.

Como o nome sugere, Contágio é um thriller que tem uma grande epidêmia, uma ameaça mortal, como background. A história segue um time de médicos e cientistas trabalhando no Centro de Controle de Doenças, numa tentativa de deter a doença.

A promissa do filme é clara e simples, mostrar uma doença contagiosa que se espalha pelo mundo inteiro, e retratar a reação da população e as atitudes de quem tem medo de se infectar. E ao mesmo tempo, sem segundo plano, vemos o pessoal que trabalha contra o tempo para conter o vírus, e que tenta se aproveitar da epidêmia para ganhar algo com isso, tem de tudo.

Apesar de existirem milhões de filmes apocalípticos por aí, Contágio, apesar de não ser tão apocalíptico, é completamente diferente do que você já viu. Você se sente dentro da trama, sofre com os personagens, fica com medo junto com eles. A história evolui dia após dia iniciando no dia 2, obviamente o dia 1 ficaria para o fim, que é o dia onde começou a epidêmia, e onde os cientistas querem chegar para eliminar o vírus.

Soderbergh tem por excelencia nos segurar em seus filmes, ele nunca deixa pistas até a resolução final, e neste longa é a mesma coisa, você fica ali colado do começo ao fim, e sem nem imaginar o que raios espalhou o vírus, mas ele não te tortura com isso, simplesmente esconde, você se sente mais preocupado em saber o que acontecerá a seguir do que desvendar o mistério. O Steven é dos meus diretores favoritos, por isso ficar elogiando é chover no molhado, ele é foda, e fez mais um filme foda e ponto final.

Contágio é um filme muito interno, não há grandes cenas de ação, grandes cenários, e grandes takes por largos espaços, é tudo muito resumido a casas, escritórios, tem uma estilo série talvez, que te faz sentir mais a vontade, faz com que o talento dos atores fique em mais evidência do que os tais efeitos especiais, extrai toda a essência do longa.

Eu vou cortar um paragráfo, não preciso falar dos atores, um elenco como esse não precisa de avaliação, são 3 vencedoras do Oscar: Kate Winslet, Gwyneth Paltrow e Marion Cotillard além de Matt Damon e Jude Law que já foram indicados 2 vezes cada, e Laurence Fishburne uma vez, além do grande Bryan Cranston (Walter White em Breaking Bad) . Ok, Oscar não quer dizer que o cara é um espetaculo e não comete erros, tá bem, mas leia o cast de novo, por favor… Não to falando de Zé Nobody que recebeu uma indicação na vida, por sorte. Isso é um ponto que não vamos tocar, está tudo no trilho que deveria estar.

Vamos arrendondar a coisa sem prolongar muito, Contágio é provavelmente o melhor filme que eu vi esse ano até agora, tudo encaixou na perfeição, você saí do cinema satisfeito por ter gasto seu dinheiro nesse filme, recomendo veementemente.

Contágio, dirigido por Steven Soderbergh, que também estreia Haywire em Janeiro de 2012.É estrelado por Jude Law (Sherlock Holmes), Matt Damon (Trilogia Bourne), Kate Winslet (O Leitor), Marion Cotillard (Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Laurence Fishburne (Matrix) e Gwyneth Paltrow (Os Vingadores), estréia no Brasil em 28 de Outubro.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...