Círculo de Fogo estreia bem na China e sequência ainda é possível

Leandro de Barros

  segunda-feira, 05 de agosto de 2013

Círculo de Fogo estreia bem na China e sequência ainda é possível

Filme lucra $45 milhões na sua estreia na China e cenário para uma sequência fica mais favorável

Pacific Rim PosterDirigido por Guillermo del Toro (Hellboy), Círculo de Fogo estreou no mercado americano há quase um mês, lucrando apenas $92 milhões de dólares nos EUA até o momento, um valor abaixo do que o esperado. Somando a bilheteria do mercado internacional, o filme não conseguia bancar direito o seu orçamento mais custos de marketing e a sequência, que já estava nos planos da Warner, não parecia provável de acontecer.

Aí veio a última esperança: o mercado asiático. Círculo de Fogo estreou na última semana na China e deve estrear em breve no Japão, dois mercados que davam grandes expectativas para os produtores – afinal, robôs socando monstros alienígenas gigantes tem grande apelo nos dois países.

+ sobre Círculo de Fogo:

E o resultado foi compensador. Segundo o THR, Círculo de Fogo estreou na China com uma bilheteria de $45,2 milhões de dólares, o que colocou o filme como a maior estreia de um filme da Warner no país (ultrapassando Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge) e a sexta maior estreia de um filme Hollywoodiano na China.

Com esse resultado, o filme agora lucrou $293 milhões de dólares ao redor do mundo e ainda ficará em cartaz por algum tempo na China e precisa estrear em países como Brasil e Japão. E aquela sequência, que antes estava improvável, agora já volta pra pauta.

Pessoalmente, eu acho que Círculo de Fogo não precisa de uma continuação. Se tiver, vou gostar e vou querer ver, mas o filme estar nos cinemas e dar dinheiro o suficiente para os estúdios americanos ficarem mais propensos a esse tipo de produção já é o suficiente.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários