Blu-ray de Ninfomaníaca também é vetado no Brasil

Leandro de Barros

  quinta-feira, 13 de março de 2014

Blu-ray de Ninfomaníaca também é vetado no Brasil

Depois de rejeitar Azul é a Cor Mais Quente, a Sonopress também rejeita fazer o blu-ray de Ninfomaníaca

Lembram que a Imovision divulgou por aí que não estava conseguindo providenciar o Blu-ray de Azul é a Cor Mais Quente porque empresas brasileiras tinham rejeitado replicar o material?

Pois bem, uma dessas empresas era a Sonopress, que teria justificado a negativa por causa das “cenas explícitas” do longa do diretor Abdellatif Kechiche.

O “problema” disso tudo é que a mesma Sonopress iria replicar o Blu-ray de Ninfomaníaca, de Lars von Trier, para a California Filmes – que também possui cenas de sexo explícito. Aliás, a mesma empresa já havia trabalhado na produção do Blu-ray de Anticristo, do mesmo Lars von Trier, e que também continha esse tipo de material.

Pois bem. Na época da confusão, a California Filmes chegou a dizer que já tinha até enviado o material de Ninfomaníaca para a Sonopress e, até aquele momento, não tinha tido nenhum tipo de problema com a replicadora por causa do conteúdo do filme. Mas esses problemas chegaram.

“Ficamos no meio de uma briga que nem era nossa. A Sonopress recusou fazer a replicação do blu-ray por causa do conteúdo adulto. Tentamos outras produtoras para fazer a replicação, mas não conseguimos, o que poderia prejudicar ou adiar o lançamento. Para o consumidor não ficar sem o filme em nenhum meio físico, cancelamos o blu-ray “disse Euzébio Munhoz Júnior, diretor da California Filmes, ao GLOBO

Com isso, não teremos Blu-ray do novo filme de Lars von Trier (mas o DVD deverá chegar às lojas no próximo dia 29 de Abril) – na entrevista ao Globo, Munhoz Júnior revela que a California Filmes cogitou fazer a prensagem do material no exterior, mas que a diferença de regiões de leitura do blu-ray em diferentes países excluiu essa hipótese (o Brasil é região 1, a Europa é região 2, por exemplo – porém, o EUA é região 1, então você pode importar o Blu-ray de lá).

Resumindo: temos uma empresa que já replicou material com sexo explícito anteriormente (Anticristo) e aceitou o conteúdo de um outro filme com sexo explícito (Ninfomaníaca), mas rejeitou um terceiro longa com as mesmas características (Azul é a Cor Mais Quente). Quando essa rejeição ficou pública, a contradição da “desculpa” por ter recusado um trabalho e não o outro também se tornou pública e essa empresa enfim rejeitou o segundo trabalho.

A pergunta que fica é qual a diferença de cenário entre a replicação de Anticristo e a de Azul é a Cor Mais Quente, e por que a Sonopress demorou tanto pra rejeitar Ninfomaníaca.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários