Sobre A Garota na Teia de Aranha: Algumas expectativas
Regina Umezaki

Regina Umezaki
@reginaumezaki

  quinta-feira, 23 de julho de 2015

Sobre A Garota na Teia de Aranha: Algumas expectativas

Quarto livro da série Millennium tem lançamento programado para Agosto

Está previsto para agosto de 2015 o lançamento internacional de A Garota na Teia de Aranha (Det som inte dödar oss, ou “Aquilo que não nos mata”), quarto livro da série Millenium iniciada por Stieg Larsson, escritor sueco falecido em 2004. Sendo os livros “Os Homens que Não Amavam as Mulheres”, “A Garota que Brincava com Fogo” e “A Rainha do Castelo de Ar” os únicos lançados, foram chamados de “trilogia”, uma vez que problemas de direitos autorais após a morte do escritor tornaram improvável qualquer lançamento além dos três primeiros títulos, apesar da existência de rumores sobre a possibilidade de o planejamento ser de dez livros (em entrevista, a parceira de Stieg Larsson desmentiu esses boatos).

42894046Para quem aguardava o desenrolar das brigas judiciais entre a família de Larsson e sua cônjuge (de uma união não legalizada e, portanto, sem direito a herança de acordo com as leis suecas), o lançamento pode ser uma notícia boa ou ruim. Uma Salander escrita por outro autor pode ser melhor do que Salander nenhuma; Por outro lado, se de fato existe um quarto livro já planejado pelo autor antes de falecer que foi completamente descartado para dar lugar ao livro sendo anunciado, escrito por David Lagercrantz, que caminho seria mais interessante?

Eva Gabrielsson, parceira de Larsson, teria se disposto a terminar o quarto e possivelmente quinto livro, uma vez que tinha acesso às anotações e noção do que estava planejado para a série, mas foi barrada pelas brigas judiciais com a família do escritor. Com o lançamento de A Garota na Teia de Aranha, o trabalho não publicado de Larsson deixa de fazer parte da história “oficial”  publicada de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist.

Acredito que o livro será lido. Por mim, por milhares de fãs dos livros publicados, possivelmente por você. E, já que esperamos dez anos por essa oportunidade, vamos falar um pouco sobre expectativas e especulações.

Do estilo narrativo

Lagercrantz não se adaptará ao estilo narrativo de Stieg Larsson e não seguirá as notas e rascunhos deixados pelo autor. Sem material promocional sobre o enredo liberado na mídia, pode-se concluir apenas que A Garota na Teia de Aranha será a visão de Lagercrantz sobre o desenrolar da história dos personagens de Larsson, tendo em vista o que já foi publicado.

Do desenvolvimento dos personagens

Não foi anunciada, até o momento, nenhuma continuidade da série após o novo livro. Então, pode ser que Lagercrantz desenvolva os personagens a partir de suas próprias expectativas, aproveitando as deixas que Larsson criou (como o crescimento da participação do médico de Lisbeth em A Rainha do Castelo de Ar, o relacionamento de Mikael com Rosa Figuerola, a reinserção de Holger Palmgren na vida de Lisbeth e até mesmo a citada porém não explorada irmã gêmea de Lisbeth), ou pode ser que ele prefira mantê-los nas condições deixadas pelo autor original, utilizando-se deles e de suas características já expostas apenas como peças de seu roteiro.

Do plot

Sinceramente, estou completamente perdida. Se Lagercrantz não pretende seguir as anotações deixadas por Larsson, tenho dificuldades até mesmo em conceber o motivo de mexer nessa série. Mas vou ler, por motivos óbvios de Lisbeth Salander.

Da recepção

Uma das minhas maiores dúvidas sobre esse lançamento é o valor de uma obra referente a determinado universo quando o autor da história não é quem concebeu os personagens. Existem vários livros lançados em condições similares: Terminados por outros autores ou escritos com base nas notas do autor original depois de seu falecimento. Pedro Bandeira, autor nacional renomado, terminou de escrever Amor Impossível, Possível Amor após o falecimento de Carlos Queiroz Telles, que deu início à obra. Tilly Bagshawe escreveu A Senhora do Jogo, continuação de O Reverso da Medalha, de Sidney Sheldon, a pedido da família do autor após seu falecimento. Em contrapartida, há autores como Terry Pratchett, autor da série Discworld, cuja filha já declarou que, ainda que não tenha nada contra se envolver com spin-offs da série, não escreverá livros em continuidade ao trabalho do pai, cujo último livro (quadragésimo primeiro) está programado para agosto deste ano.

No fim das contas, provavelmente é uma questão de ponto de vista do leitor. Há quem diga que o lançamento do novo livro é apenas uma maneira dos envolvidos ganharem dinheiro, e há quem acredite que a história de Mikael e Lisbeth precisa continuar. Em qual dos dois grupos cair, só será possível decidir com A Garota na Teia de Aranha nas mãos.

E vocês, leram/lerão o novo livro? Se sim, nos digam o que esperam!


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários