Resenha Lembrança, de Meg Cabot

Se você leu A Mediadora e gostou, definitivamente vai querer ler Lembrança. Se ainda não conhece a série, nunca é tarde.

Regina Umezaki

Regina Umezaki
@reginaumezaki

  domingo, 02 de outubro de 2016

Na onda de revivals que surgiu no último ano, Meg Cabot, escritora famosa principalmente (mas não unicamente) por seus livros YA/infanto-juvenis/juvenis, fez anúncios que abalaram a estrutura emocional de todo adolescente que cresceu lendo suas histórias: Suas séries O Diário da Princesa, A Mediadora e Garotos teriam continuações.

Lembrança é a tradução de Remembrance, sétimo livro da série A Mediadora, história de Suze Simon, uma adolescente que vê fantasmas – e convive com alguns deles. Antes de continuarmos, importante ressaltar que vai ter spoiler da série. Não do sétimo livro, mas dos outros, sim.

Agora, continuando.

lembranca-3dLembrança começa apresentando a Suze dos dias atuais: estagiando de graça no colégio onde estudou na esperança de conseguir um emprego definitivo, noiva do agora Doutor Jesse de Silva, ainda uma Mediadora. Além disso, vimos o destino de Soneca, Dunga e Mestre, os meio-irmãos que ela ganhou quando sua mãe se casou novamente ainda no início da série, e vários outros personagens.

Como sempre, a história também apresenta um fantasma de passado obscuro e tendências violentas. No entanto, a autora aborda temas mais sombrios do que assassinatos e pendências; Dessa vez, o fantasma se recusa a ir embora não apenas por raiva ou luto, e, apesar de já sabermos desde muito cedo na série que o ser humano vivo pode ser muito pior do que qualquer assombração, a autora nunca apresentou temas tão crus nessa série – em geral, os assuntos mais sensíveis eram usados na série “Desaparecidos” (Vanished ou 1-800-WHERE-R-U).

A Mediadora é uma série que, pessoalmente, acredito que tenha envelhecido bem. No entanto, vale a pena frisar que Meg Cabot fez um trabalho excelente na escolha do tema, trazendo uma contemporaneidade ainda maior para a história.

Para quem cresceu lendo esses livros e amando (ou odiando) seus personagens, também reencontramos Paul Slater, e revendo seu histórico na série, não é surpresa para ninguém que ele desempenhe papéis cada vez mais ambíguos no plot, a ponto de causar alguns questionamentos muito sérios sobre seus atos, sempre no limiar – não dá pra saber quando a intenção dele é a pura babaquice e quando ele realmente está no borderline criminal.

Talvez não tão flawless quanto Royal Wedding (Casamento Real), Lembrança ainda é um livro muito bom, que revive e nos dá a chance de reencontrar personagens amados que foram parte importante da nossa adolescência.

Antes de terminar a resenha, acho importante deixar um triger warning / aviso de gatilho para abuso e violência sexual. Não há nada explícito, mas quem tem sensibilidade muito grande ao assunto pode preferir não ler.

Se você leu A Mediadora e gostou, definitivamente vai querer ler Lembrança. Se ainda não conhece a série, nunca é tarde.

A GUARDIÃ DE HISTÓRIAS
Victoria Schwab

Título Original: Remembrance
Ano:
2016
Série: A Mediadora (#7)
Gênero: Ficção estrangeira
Páginas: 400
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501071569
Preço: R$ 29,90

Comentários