Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Leandro de Barros

  domingo, 01 de fevereiro de 2015

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Eu estou pouco a pouco começando a ver os filmes do Oscar 2015. Com Birdman, já vi os dois grandes favoritos: ele e Boyhood.

Adorei os dois. Boyhood é muito mais pessoal e emotivo do que Birdman, se tornando particularmente especial se você tiver a faixa etária do protagonista do filme (nos seus 20 e poucos anos). Já Birdman é mais racional – e eu uso essa palavra pela minha simples incapacidade de pensar numa melhor. Não é “racionalidade”, mas o fato de Birdman ter um argumento específico a ser feito, uma discussão racional sobre um assunto (no caso, a necessidade humana de ser amado e aceito) e o faz de maneira magistral mesclando-o com comentário sobre o Cinema Contemporâneo e o valor da Arte.

Honestamente, adorei os dois e não tenho favorito. Essa é a parte boa do cinema: poder curtir duas coisas diferentes, mas incrivelmente boas.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários